O Drama de Orlando Pessutti

pessuti1O Ex-Governador Orlando Pessuti, um dos homens fortes do PMDB do Paraná, está montado em um dilema que, por certo, está consumindo seus pensamentos e sonhos de noites mal dormidas.
Depois de diversas conversas e convites, Pessuti tem a possibilidade de embarcar no Governo de Beto Richa, assumindo uma posição de destaque com a presidência da Sanepar ou da Copel, dois empregos públicos que são o sonho de consumo de muitos políticos, dentro ou fora do poder.

Este convite do Governador, abrindo esta possibilidade de cargos importantes e bem remunerados, para que o PMDB entre de vez, e vá de mala e cuia para a campanha de reeleição de Richa no ano que vem. Bela jogada do Governador, que já tem boa parte do PMDB em suas linhas, e agora trouxe um grande reforço com a “contratação” do deputado federal Ratinho Júnior do PSC (futuro Secretário de Desenvolvimento Urbano).
No entanto, tão logo soube de tal assertiva, a linha de frente do PT e aliados, correu para avisar a Primeira Ministra Gleisi Hoffmann de que poderia estar perdendo o importante aliado.

Diante disto, Pessuti foi convidado para visitar o gabinete da Casa Civil, em Brasília, para uma conversa ao pé do ouvido com Gleisi e, muito possivelmente, seu marido Paulo Bernardo, já que a dupla manda e desmanda no PT do Paraná. De Gleisi deverá ouvir (se não ouviu) que poderia manter seu cargo no BNDES, ampliar participação em cargos federais no Estado e quem sabe emplacar uma chapa com ela própria como vice na chapa da campanha de 2014.

E Agora Pessuti? Qual seria o rumo do ex-governador diante de tais propostas tentadoras?
Boa parte do PMDB que já está dentro do Governo Estadual, defende aliança já com Beto Richa. Outra parte, aquela mais ao lado do senador Roberto Requião, quer a manutenção da aliança com o PT, ou pelo menos, por enquanto, nenhuma das duas.

Para congelar ainda as negociações, o agrônomo Orlando Pessutti disse que somente aceitará a presidência da Sanepar ou da Copel, se puder indicar e nomear os principais cargos de diretoria da estatal que vier a comandar, se for o caso.

Pessutti disse que responderá num prazo de 30 dias. Beto Richa vai aguardar a decisão do peemebista. Gleisi e Paulo terão tempo para convencer o “Pessutão”.
Quem ganhará a briga? Qual será a opção de Pessutti? Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →