O Perfil das Nomeações na Administração Municipal

O Prefeito Marcelo Rangel e o presidente da Câmara Municipal, Aliel Machado, não nomearam ainda, alguns cargos de segundo escalão dentro da estrutura administrativa dos poderes que estão comandando.
No caso da Prefeitura, o assunto é tratado de uma forma diferente, pois depende de algumas mudanças que ainda poderão ser feitas, no ajuste natural que ocorre em todo início de nova administração. É provável que a maioria dos cargos de diretoria e assessoria direta dos secretários, seja de fato alterada, em função deste processo de assentamento gradual das funções, onde a maioria dos diretores que estavam na administração anterior vão sendo substituídos gradativamente.
Talvez, no primeiro momento, convenha mais ao secretário deixar as coisas como estão para sentir a reação do grupo, tendo tempo então, de verificar se pode manter as pessoas detentoras dos cargos diretivos ou chamará alguém de fora com perfil de maior confiança. Normalmente, aí se vê um perfil mais técnico, embora o componente político também não seja totalmente desprezado, com certeza.
No caso da Câmara Municipal, o lado político é muito mais forte. Afinal de contas, ganhar a eleição da presidência da casa requer habilidade e muita negociação. E e isto envolve – forçosamente – a indicação e apadrinhamento político em cargos de direção. Não há como negar este fato comprovado.
Mas, vamos lá! Não sejamos hipócritas, ao ponto de imaginar que isto não existe ou não vale. Afinal, é um processo normal, e quem disser que não faria se lá estivesse, possivelmente estará faltando com a verdade. Isto é normal dentro do processo democrático. Sem este componente, é praticamente impossível ganhar uma eleição da Mesa Executiva.
Por conta de toda esta parafernália que envolve a engenharia politico-administrativa, é que muitos cargos ainda estão sendo preenchidos, uns de forma efetiva e outros interinamente. Muito provavelmente, alguns destes sofrerão alteração no decorrer dos próximos meses, ou dias até.
Afinal de contas, existem alguns cargos, que embora o item confiança seja importante para quem nomeia, o item conhecimento não pode ser desprezado. Indicar ou nomear alguém despreparado para a função que exercerá, certamente pode ser um tiro no pé. E no momento em que vivemos, onde todo mundo sabe de tudo, e que a internet torna-se terra de ninguém para quem apenas e tão somente usa veículos de comunicação para criticar ou denegrir a imagem das pessoas, todo cuidado é pouco no momento de colocar na administração pública a pessoa indicada tão somente pelo compromisso político.
O que a população da cidade espera, é que, quem quer seja o padrinho político, o indicado ou o nomeado, que o servidor público, mesmo que temporariamente, preste um serviço de qualidade, faça sua função de forma correta, para que as atividades possam fluir para justificar sua presença no cargo. Afinal, ser servidor público, é atender o povo, seja ele do mais simples ao mais graduado funcionário.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →