UMA NOVELA QUE ENFIM ACABOU

Uma novela do mais alto estilo mexicana, com todos os ingredientes de emoção e expectativas. Podemos descrever desta forma o caso da vereadora Ana Maria, o qual chegou ao fim na última sexta-feira, com sua renúncia ao cargo. E convenhamos: demorou demais.

Com todo o respeito que a pessoa merece, mas aqui comentamos tão somente o fato ocorrida com a figura pública da vereadora, sem entrar no mérito pessoal, mas a Câmara Municipal tem muita coisa muito mais importante para fazer do que perder 8 meses discutindo o que aconteceria com o mandato parlamentar de uma vereadora que faltou à sessão do primeiro dia do ano, aquela que elegeu a nova Mesa Executiva da Casa de Leis.

E aí que está o problema: se a vereadora Ana Maria tivesse tão somente faltado à uma sessão, por motivos de saúde, como ela própria alegou, não haveria problema algum. Embora fosse uma Sessão importante, a questão da saúde física ou mental está acima de nossas possilidades e tão somente a apresentação de um atestado médico supriria a necessidade. Porém, não se sabe até porque, houve a invenção daquele falso sequestro, sendo este procedimento o principal – e talvez único – que levou a todo este processo que envolveu CPI e CPP.

Nada disto teria ocorrido efetivamente se a ex-vereadora tivesse tão somente faltando à sessão e entregue um atestado médico justificando a ausência, seja lá qual tenha sido o verdadeiro motivo de sua ausência.

O importante é que a novela acabou. O caso está encerrado. A Câmara Municipal e a população terão agora outros assuntos para se preocuparem. E como temos assuntos importantes para resolver. A cidade carece de um planejamento mais adequado a sua perspectiva de crescimento. Mas, não um planejamento rápido, pra resolver problemas de hoje. Precisamos de um Plano Diretor para a cidade urgentemente, precisamos de gestores que pensem a cidade para 10, 20, 30 anos ou mais, sob pensa de que nossos futuros moradores enfrentem problemas muito maiores daqueles que estamos enfrentando neste momento.

Esperamos então que o Poder Legislativo Municipal direcione tua sua disposição no sentido de solucionar, ou pelo menos, discutir soluções para os graves problemas da cidade, deixando o aspecto político um pouco de lado, sabendo inclusive que a Mesa Executiva tirou dos ombros um fardo muito grande de responsabilidade e de resposta que devia para a população.

Foi uma triste história, de típica novela mexicana, onde não houve final feliz, de forma alguma.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →