Sindicância na Câmara poderá pedir a exoneração de servidora

camara palmeira 11.09

A Sessão da Câmara Municipal de Palmeira realizada na terça-feira ainda foi polarizada pelas investigações das supostas irregularidades em desvios de recursos financeiros da Casa de Leis. O presidente, Fabiano Cassanta fez uso da palavra para comentar que as irregularidades já aconteciam antes mesmo dele assumir a presidência: ““Tanto sabia que denunciei ela, tanto sabia que exonerei ela do cargo de diretora financeira. Amanhã sai o relatório da Comissão de Sindicância e se tornará público e todos os senhores terão acesso aos dados. Há mais de uma semana já encaminhamos toda a documentação ao Ministério Público. É um momento delicado, mas fui eu quem descobriu e denunciou, por isso estou tranquilo”, disse Cassanta que salienta que sua conta corrente está a disposição da Justiça.

Cassanta disse ainda que recebeu informações que a servidora responsável pelo Setor Financeiro da Câmara Municipal está presa, e o Ministério Público já tomou depoimento da funcionária, a qual teria dito aos promotores que o presidente e outros vereadores sabiam as movimentações financeiras. O presidente rechaçou as declarações da servidora. “Agimos com transparência desde o início, tanto que é denunciamos e abrimos a sindicância”.

Nesta semana ainda será aberto um processo administrativo para que se provado, resultará na exoneração do cargo efetivo da servidora.

O vereador fez também relação com as supostas irregularidades na Câmara Municipal. Ele disse que o episódio é grave, deve ser investigado com urgência. “A investigação tem que ser segura, minuciosa, mas não tem que ser lenta, nem calma, a população tem que fazer junto com a gente isso, para que não fique desconfiança. E assim, aqueles que infringiram a lei, sejam penalizados”, salientou.

Em aparte, o vereador pastor Anselmo Osório disse que tivesse que condenar o presidente, o condenaria por confiar cegamente na servidora e citou uma passagem bíblica. “Maldito seja o homem que confia em outro homem”, porém, disse que confia no ‘pente-fino’ que será feito. Wieczorek também aparteou Cassanta e disse que em depoimento ao Ministério Público comentou que é de praxe o presidente da Casa confiar na profissional, que além de ser de carreira, sempre demonstrou ser de confiança. Ele salienta que está satisfeito com o final da sindicância e conta que já foram solicitados extratos de outros períodos em que ele, como Max Vida e Ivano Cherobim foram presidente da Casa. É uma lógica dos presidentes confiarem na contadora e jamais se imaginava que ela faria transferências para a conta dela”, disse o vereador.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →