Governo Municipal muda estratégia e abre diálogo com vereadores

George e outrosUm dos fatos políticos que mais chamou atenção dos últimos dias, foi a aproximação do Governo Marcelo Rangel com o Legislativo Municipal. A situção é novidade, uma vez que, até agora, Rangel mantinha contato com “meia dúzia” de parlamentares somente. Na última segunda-feira, o Prefeito Marcelo Rangel receber em seu gabinete cerca de 18 vereadores, tanto da base governista, como da oposição, entre eles o líder do bloco, Antonio Aguinel (PC do B). Outro vereador tem que comentado favoravelmente sobre esta aproximação, tem sido Pietro Arnaud (PTB). Esta aproximação, de acordo com o próprio parlamentar, “é fruto de uma amadurecimento político que a própria Administração está passando, inclusive eu mesmo, onde a gente aprende a analisar melhor as coisas que vem acontecendo”, afirma.

Em contato com a reportagem do POLÍTICA EM DESTAQUE, Pietro salienta a importância do diálogo como forma de crescimento do trabalho de vereador, bem como da Administração Municipal. “Eu continuo sendo vereador de oposição, continuo fazendo as denúncias sobre fatos errados que eu vejo, com farta documentação inclusive, mas tenho uma visão diferente, onde eu trabalho para que as coisas melhorem, e não ao contrário”. Embora os poderes Legislativo e Executivo sejam independentes, um preciso do outro para que a Administração possa gerenciar a cidade, e resolver problemas pontuais da população. É nisto que apostam alguns vereadores.

Nesta última semana, inclusive, o nome de Pietro Arnaud surgiu em rodinhas de conversas de vereadores e representantes do Governo Municipal para um possível convite para assumir uma secretaria de Marcelo Rangel. Sobre este assunto, o vereador garante: “Não recebi nenhum convite e ninguém falou nada comigo sobre isto. Se um dia houver alguma coisa, evidentemente que vamos analisar o melhor para todos os lados, principalmente da população”. Entretanto, Pietro faz questão de salientar de que a aproximação com o Governo Municipal não é somente dele. “O Prefeito Marcelo Rangel tem aberto uma linha de conversa com o Legislativo, tanto é que na última reunião quase todos os vereadores estiveram presentes. Isto é importante. Então não foi o Pietro que se aproximou com o Governo, e sim o Governo que se aproximou da Câmara”, afirmou.

Laroca 27.11Na sessão da última quarta-feira (26), por exemplo, Pietro e Antonio Laroca Neto (PDT), protagonizam uma discussão sobre os pedidos de regime de urgência do Governo Municipal. Os vereadores de oposição divergiram sobre o voto favorável ou contrário. Enquanto Pietro votou à favor pela urgência do projeto que realiza ajustes no Orçamento Municipal, mas rejeitou os pedidos para projetos de doação de áreas para empresas, Laroca fez exatamente o contrário. O pedetista justificou que votou favoravelmente aos projetos para os terrenos para empresas por conta da geração de emprego. Laroca foi chefe da Agência do Trabalho antes de ser eleito vereador.

Sobre a situação exemplificada de Pietro Arnaud e outros vereadores, podemos fazer uma analogia ao contrário com o vereador George Luiz de Oliveira, o qual já foi líder do Governo e agora articula votações da oposição. George não disse oficialmente que é da oposição, mas seu trabalho legislativo e político parece ser de oposição, além das críticas ácidas feitas ao Governo Municipal sempre que tem a oportunidade de utilizar a palavra no plenário.  Aliás, o vereador do PMN tem usado bastante a palavra, pois tem presidido a maioria das sessões dos últimos dias, fato que contribui e muito para que seus pensamentos sejam expostos nos microfones da Câmara Municipal.

Cenoura, Mainardes e Schirlo 27.11Reuniões a mais reuniões. O trabalho legislativo dos vereadores, entre pareceres das comissões e as sessões ordinárias, tem sido dividido com pequenas reuniões em grupos de 3 ou 4 vereadores nos gabinetes, tudo para tentar aliciar parlamentares para este ou aquele grupo visando as eleições para a Mesa Executiva. E o jogo de boatos é o mais comum. O conhecido “diz que me diz que” vendo povoando os comentários nos bastidores, ao ponto de ninguém saber como vai ser. Além de muita coisa, tem aquele jogo de minar o adversário. Portanto, é comum que boatos sejam plantados a fim de derrubar as estratégias dos adversários. Ocorre que, em alguns casos funciona, mas em outros nem tanto.

Laroca e outrosUm dos exemplos de maior preocupação com a eleição da Mesa, é Delmar Pimentel, que vive uma situação atípica. Acostumado, no passado, a ser o centro das negociações e ser considerado o “Mestre dos Magos” em termos de eleição para presidente do Legislativo, Delmar agora vem atuando de forma decisiva na custura de um grupo capaz de vencer a eleição. O problema que Delmar é suplente e deve ceder lugar para o titular da cadeira, o Secretário Julio Kuller, que mais dia, menos dia, desembarca novamente no Legislativo para participar dos momentos decisivos. E, por certo, Pimentel não fala por Kuller e nem vice-versa. Mesmo assim, Delmar acredito que seu trabalho pode render bons resultados no futuro.

Careca e capoeira 27.11Luta capoeira. Antes do início da sessão de quarta-feira, o plenário da Câmara Municipal virou espaço para jogo de capoeira. De autoria do vereador Professor Careca, houve uma homenagem para as escolas e academias que ministram aulas da arte marcial, que pode, inclusive, virar modalidade Olímpica em breve. Mas, a apresentação não ficou somente no papel. Careca participou do jogo, mostrando um certo grau de habilidade ao jogar juntamente com outros praticantes. Alguns colegas do vereador temiam que ele pudesse se machucar durante a apresentação, porém recebeu elogias de alguns vereadores que acompanharam a apresentação.

* Com fotos de José Aldinan – CMPG.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →