Contadora da Câmara de Palmeira tem prisão revogada após depoimento

A profissional de contabilidade Giseli Gremski Vida, acusada do desvio de R$ 270 mil dos cofres da Câmara Municipal de Palmeira, teve sua prisão preventiva revogada após ser ouvida em juízo. A decisão foi tomada pela juíza Cláudia Sanine Bosco, após a tomada do depoimento da contadora. Giseli assumiu integralmente a responsabilidade pelo desvio dos recursos e agora aguardará em liberdade a sequência do processo.

De acordo com a decisão judicial, após apelação da defesa, Giseli tem bons antecedentes, tem residência fixa e ocupação lícita. Além disto, a acusada apresenta problemas de saúde, fato que foi comprovado junto a outros servidores da Câmara Municipal que prestaram depoimentos.

A defesa de Giseli alegou ainda que a contadora aumentou seu próprio salário em 2012 devido a uma resolução da Mesa Executiva que permitiu esta manobra através de um reenquadramento funcional. Quanto ao desvio do valor, os bens já bloqueados, um imóvel e um veículo, segundo os advogados de defesa, devem garantir o ressarcimento ao erário público.

O atual presidente Fabiano Cassanta, e outros três ex-presidentes do Legislativo, Ivano Cherobin, Max Vida Santos e Mário Wieckzorek. Todos confirmaram que tinha confiança no trabalho da contadora, não conferindo a movimentação financeira e na contabilidade da Câmara Municipal.

* Com informações da Gazeta de Palmeira.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →