“Esqueleto” reaparece e some com R$ 750 mil do Mercado da Família

2411_mercado_da_familia_uvaranas_muda_de_endereco_2O caso “Esqueleto” parece ter uma reedição em Ponta Grossa, mas, desta vez na Secretaria Municipal de Abastecimento, da Prefeitura de Ponta Grossa. Informações levantadas junto a pasta municipal dão conta de que um ex-funcionário pode ter desviado um valor que pode chegar a R$ 750 mil dos caixas do Programa Mercado da Família. Este funcionário seria ocupante de um cargo em comissão e já teria sido exonerado ainda no mês de novembro passado.

De acordo com o secretário Serginho Zadorosny, as medidas administrativas e policiais já foram tomadas, com o encaminhamento do vídeo que poderá comprovar o furto e a culpa do cidadão para a Delegacia da Polícia Civil. Em nota, o secretário disse que a denúncia partido dele mesmo e que o Governo Municipal não vai tolerar crimes contra o patrimônio público.

O Delegado Chefe Danilo Cesto já teria montado uma equipe especializada com designação de um delegado para comandar as investigações.

Uma das especulações dá conta de que o ex-funcionário desviou ao longo de um bom tempo os valores, e que, como não foi descoberto, continuou com uma operação de “emprestar” dinheiro dos caixas, mas em dado momento não conseguiu mais devolver estes valores.

Na gestão anterior o Programa Mercado da Família foi alvo de diversos roubos, os quais ainda não foram elucidados ou não tiveram os resultados das investigações divulgados. Porém, nem de perto as somas chegam perto do valor final ainda a ser apurado.

O primeiro Caso Esqueleto ocorreu originalmente na Câmara Municipal, e foi descoberto em 2009, quando o ex-servidor Rodrigo de Paula Pires, réu confesso, ajudou a desviar mais de 2 milhões de reais das contas bancárias do legislativo. Agora, o “esquema esqueleto” reaparece novamente, em outro formato, com outro ex-funcionário, mas agora na Prefeitura Municipal.

Espera-se efetivamente que o(s) culpado(s) sejam efetivamente descobertos e punidos nos rigores da Lei, até porque, um funcionário sozinho não conseguiria desviar um montante de dinheiro tão grande sem conhecimento e/ou ajuda de cúmplices.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →