Presidente da Câmara diz que vai “botar ordem no galinheiro”

“não vou mais aceitar esta massa política, vamos botar ordem no galinheiro!”. Diego Macedo, presidente da Câmara de Carambeí.

O presidente da Câmara Municipal de Carambeí, Diego Macedo, deu uma declaração, no mínimo, inusitada no final da sessão ordinária realizada nesta última terça-feira (26) a noite. Em pronunciamento gravado através de um vídeo que circula nas redes socais, o vereador reclamou das críticas que vem recebendo dizendo que “assim como tem gente contra, tem gente a favor…e como presidente tenho visto muitas armações políticas aqui dentro e não vou mais aceitar…não vou mais aceitar esta massa política, vamos botar ordem no galinheiro!”.

A frase, embora seja jocosa, demonstra o tom da ordem política no legislativo da cidade de Carambeí, desde que surgiram as denúncias envolvendo o chefe de gabinete da prefeitura e a investigação dos contratos existentes entre a empresa Unilog e a Prefeitura de Carambeí.

No começo do mês, os vereadores membros da CEI que investigou o caso, emitiram parecer contrário a denúncia, embora detectassem diversos indícios de irregularidades. O plenário da Câmara votou favoravelmente ao parecer, com placar apertado de 6×5, com voto minerva do presidente Diego Macedo.

Pedido de anulação da votação

O vereador Emerson Scheik colocou mais lenha na fogueira. Na semana passada protocolou um pedido para anulação daquela votação. De acordo com o documento, o presidente Diego Macedo estaria impedido de votar, pois sua esposa era secretária de meio ambiente e fiscal do contrato entre a Unilog  e a Prefeitura, para construção de túmulos no cemitério municipal da cidade, contrato que está sendo investigado pelo Ministério Público.

Polêmica continua

Visivelmente nervoso, Diego fez a declaração ao final da semana, sem autorizar a leitura do pedido do cancelamento da votação do relatório da CEI. As palavras do presidente podem ser entendidas como um desabafo do vereador diante da disputa política dentro do legislativo carambeiense, uma vez que demonstra as articulações do grupo mais próximo ao prefeito Osmar Blum, em detrimento do Grupo dos 5, composto por vereadores dissidentes do bloco governista no início da atual legislatura.

Diego Macedo e demais integrantes da bancada governista podem estar sentindo a ameaça de um grupo que é forte, pois além dos votos em plenário, tem ramificações entre outros entes políticos da cidade, do estado e até mesmo no Poder Executivo.

A pedra no meio do caminho pode ser a mesma que incomoda dentro dos sapatos.

  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor – com informações do jornal Correio Carambeiense.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →