Ex-presidente da Câmara de Vereadores é denunciado pelo MP suspeito por lavagem de dinheiro

Ex-presidente da Câmara Municipal de Prudentópolis foi denunciado pelo Ministério Público.
O núcleo de Guarapuava do Grupo de Ação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, apresentou denúncia contra o ex-presidente da Câmara de Vereadores de Prudentópolis, Julio Makuch. O ex-vereador é investigado na Operação Caçamba, deflagrada pelo Gaeco em 2015 para apurar denúncias de corrupção, fraudes a licitações, peculato e falsidade ideológica envolvendo empresas e pessoas ligadas à administração municipal de Prudentópolis.
De acordo com a denúncia, de 2009 a 2014, o ex-vereador participava como sócio oculto de empresas que tinham contratos superfaturados com a prefeitura. Para dissimular a origem ilícita dos recursos recebidos, depositava-os em conta bancária utilizada para pagar compras de ativos, dando assim característica de legalidade aos negócios. Os recursos não eram declarados à Receita Federal.
Segundo o promotor do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Vitor Hugo Honesko, o vereador é suspeito de ser sócio de uma empresa de monitoramento eletrônico que tinha contrato com a Prefeitura de Prudentópólis.
De acordo com Honesko, o nome de Makuch não aparece no contrato da empresa de monitoramento. No entanto, ele é considerado “sócio oculto” do empreendimento. O contrato com a prefeitura teve duração de dois anos, conforme o promotor, e causou prejuízo de R$ 370 mil à administração por causa do indício de superfaturamento.
  • Da Assessoria do MPR.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →