Prefeitura “esquece” de exigir repasse de R$ 20 milhões no contrato com a Sanepar

Você já imaginou assinar um contrato no qual abra mão de receber (isto mesmo receber!) R$ 20 milhões? Parece até surreal, mas o prefeito Marcelo Rangel mandou o Projeto de Lei 432/2017 para a Câmara Municipal, que trata da renovação do contrato com a Sanepar, de forma incompleta, faltando cláusulas importantes que protegem o interesse público, o interesse do município neste possível novo ajuste.
E, pasmem os senhores e senhoras nossos leitores(as): não há a previsão para o pagamento do percentual de 3% que a Sanepar deveria repassar para município de Ponta Grossa, sobre o faturamento mensal, com a antecipação do montante de R$ 20 milhões para os cofres da Prefeitura com o novo contrato.
A situação, que até mais parece uma piada, foi revelada pelo vereador Pietro Arnaud (em destaque na foto), durante pronunciamento na Tribuna da Câmara Municipal de Ponta Grossa, nesta quarta-feira (6).  “A pressa é tão grande em aprovar a lei que se esqueceram de prever, no Projeto de Lei, que a Sanepar iria repassar esse valor ao município”, afirma. “Com o fim de resguardar os interesses de Ponta Grossa, estou providenciando diversas emendas ao projeto original, corrigindo, assim, inúmeras deficiências encontradas e vários privilégios inexplicáveis concedidos pelo Executivo à Concessionária”, relata.
O vereador ressaltou ainda a importância de que o projeto seja discutido de forma mais aprofundada entre os vereadores e a comunidade, sobre as regras deste novo contrato e fez um alerta aos colegas: “Quem defendeu o projeto da Sanepar do jeito que está, aqui nesta Casa, vai passar vergonha. Estamos vendo algumas pegadinhas do Projeto de Lei. Nós não vamos ser irresponsáveis por aprovar um projeto desses”, disse.
EMENDAS PERDIDAS
Quem utilizou a Tribuna na sessão desta quarta-feira, foi George Luiz de Oliveira. O vereador destacou as emendas que o município deixou de receber devido a inércia da Prefeitura de Ponta Grossa, segundo o parlamentar.  “Foram perdidos mais de R$ 2,3 milhões em emendas porque a Prefeitura não apresentou sequer projetos para receber estes valores”.
George criticou (novamente) a gestão do prefeito Marcelo Rangel, e disse que foram perdidas emendas de R$ 800 mil do deputado federal Leopoldo Meyer, e mais R$ 1,5 milhão destinadas pelo deputado Aliel Machado.
FECHAMENTO DE ESCOLA
O possível fechamento da Escola Municipal Fioravante Slaviero, no Parque Aroeira, foi o tema principal do discurso do vereador Geraldo Stocco. O parlamentar relatou esteve reunido com a secretária Esméria de Lurdes Savelli, a qual informou que a unidade escolar não será fechada. “Ocorre que há uma demanda muito grande para um CMEI naquela região, a secretaria de educação está estudando transformar a escola em um CMEI para atender toda a região”, relatou.
De acordo com Stocco, na próxima sexta-feira (8) haverá uma reunião no gabinete da secretária, com moradores da região, para debater ideias e apresentar esclarecimentos sobre esta situação.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *