Rangel entrega homenagem a Márcio Pauliki e ao Grupo MM

Em cerimônia realizada na última segunda-feira, dai 19, a Prefeitura de Ponta Grossa prestou homenagens às 40 empresas que mais contribuem na arrecadação de tributos para o município. Sem dúvida, trata-se de uma iniciativa louvável do prefeito Marcelo Rangel, até porque se não fossem estas empresas por certo as dificuldades da prefeitura seriam maiores ainda.
Entretanto, o fato curioso é que, até bem pouco tempo atrás, Rangel, seu irmão Sandro Alex denotavam o deputado Márcio Pauliki e o Grupo de empresas que constituem o Mercadomóveis, quanto supostos débitos das empresas perante o fisco municipal.
Claro que esta “guerra particular” tem como cerne o alinhamento político existente entre os dois grupos até 2008, quando – até onde se sabe – os Cruz de Oliveira não teriam cumprido com acordo firmado com Pauliki quanto ao candidatura majoritária nas eleições municipais daquele ano.
Misturando política com negócios, Rangel e seu irmão passaram a perseguir o Grupo MM, e sempre que possível soltavam na mídia matérias depreciativas, chegando a criar até mesmo a famosa “Relação dos Grandes Devedores” de tributos municipais, publicando na internet este rol.
Os manos Oliveira simplesmente esqueceram, que por muito tempo, o Grupo MM foi um dos principais anunciantes na emissora de rádio da família e grande parceiro em projetos e eventos.
Com a entrega da homenagem na última segunda-feira, Marcelo Rangel não somente deu um tiro no pé, como também reconheceu o grande erro que cometeu. Afinal de contas, assuntos particulares não deveria se misturar com os interesses da cidade.
Entretanto, é bom lembrar que o Grupo MM tenha foi deixado de fora na lista das empresas de reconhecimento público por investimentos no esporte, cultura, lazer e meio ambiente, fato que gera estranheza, pois trata-se de uma das empresas que mais investe em patrocínio de diversas iniciativas voltadas para o desenvolvimento da sociedade.
Tirando esta falha, parece que o prefeito vai aprendendo, a duras penas, na base do pagando pra ver, que política não se faz com o fígado. Política se faz com sabedoria, paciência e estratégia, tornando como norte sempre o interesse maior do bem público.
Tomara que tenham aprendido a lição.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →