Prefeitura paga horas extras parcialmente e servidores podem parar

Nova assembléia dos servidores do Pronto Socorro pode gerar a paralisação das atividades devido ao pagamento parcial das horas extras. Foto: Divulgação – Sindserv.
A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa efetuou o pagamento das horas extras relativas ao mês de novembro do ano passado na última quarta-feira, dia 3. Depois da confirmação do pagamento, o Sindicato dos Servidores descartou a realização da greve geral no Hospital Municipal Dr. Amadeu Puppi, bem como no Hospital da Criança Getúlio Vargas.
Entretanto, no início da noite do mesmo dia, a greve voltou a ser cogitada, isto porque foram encontradas algumas falhas no pagamentos dos proventos. De acordo com Leovanir Martins, presidente do Sindiserv, foram pagas as verbas de forma incompleta, sem a inclusão do DSR, bem como do adicional de 25% que alguns servidores dos hospitais tem direito. “Foram, pelo menos, 130 trabalhadores que receberam valor menor que o seria correto”, salientou.  Além disto, o sindicalista afirma que foram pagas apenas uma parte das horas extras realizadas.
Assim, haverá uma nova reunião ainda nesta quinta-feira (4) para avaliar a situação e tomar um posicionamento, que pode ser, inclusive, de greve nas duas unidades de atendimento.
SECRETÁRIO “CURVA DE RIO”
A situação caótica em que vivem os servidores públicos municipais de Ponta Grossa é fruto da falta de competência do secretário de Recursos Humanos em tratar os assuntos relativos aos trabalhadores com a habilidade necessária. A atuação de Ricardo Linhares a frente da pasta é tão danosa aos servidores, que já foi apelidado de “Secretário Curva de Rio”, isto porque tudo que chega à sua mesa em relação aos trabalhadores, fica parado por tempo indeterminado, sem que recebam – no mínimo – uma resposta, mesmo que negativa.
A questão dos pagamentos das horas extras é outra demonstração evidente deste problema de relacionamento. Claro e evidente que isto envolve mais a questão financeira da Prefeitura, e talvez falta de dinheiro para pagar todas as horas extras em dezembro. Isto não é culpa dele. O problema é que Linhares implantou uma linha de ditadura na administração da pasta de Recursos Humanos, e isto vem gerando eternos conflitos não somente com o Sindicato, mas também o desgosto da maioria dos servidores municipais.
Seria de bom alvitre que o Prefeito Marcelo Rangel, virtual candidato a deputado estadual, adotasse uma linha mais polida com os servidores, pedindo ao “titio” que tratasse os trabalhadores com mais respeito e educação. Já estaria de bom tamanho.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor – com informações do Jornal Diário dos Campos.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →