Jogo político pode implodir candidatura de Ratinho Júnior

Ricardo Barros, Ratinho Júnior, Valdir Rossoni e Cida Borghetti, no centro das articulações e frituras de candidaturas ao governo do Estado.
O jogo político que envolve as candidaturas a governador do Paraná estão a pleno vapor e fazendo borbulhar os bastidores da política paranaense. Neste clima de fritura de candidaturas de lá e de cá, o deputado estadual Ratinho Júnior (PSD) parece estar perdendo terreno gradativamente quando o assunto é garantir o apoio do grupo político do governador Beto Richa.
Enquanto o governador Beto Richa (PSDB) tenta contemporizar com seu grupo, dizendo que ainda não sabe se vai terminar o mandato ou se licenciar para ser candidato ao senado, os grupos que gravitam sobre o principal ocupante do Palácio Iguaçu vão se debatendo, cada um com suas forças, para puxar para seu respectivo lado a máquina administrativa e garantir apoio para as candidaturas que defendem.
É o caso, por exemplo, o deputado federal licenciado Valdir Rossoni, que ocupa a Casa Civil, e já disse que tem interesse em suceder Richa no comando do Executivo Estadual. Embora não tenha grande apelo popular, Rossoni faz parte das cabeças coroadas que sustentam o governo estadual e tem apoio político de sobra.
Já a vice Cida Borghetti, entrou no jogo para ser a candidata oficial de Richa neste ano de 2018. Pelo menos foi o que vem dizendo aos quatro ventos o seu marido, o ministro Ricardo Barros: existe um acordo para que Cida fosse a candidata oficial do governo, remotando o apoio do grupo de Barros à candidatura de Richa em 2014.. Com ramificações e tentáculos em diversas esferas do governo estadual e federal, com uma bancada de dar inveja, Barros tem cartas altas para jogar este jogo.
Este poderio de Ricardo Barros e da vice, faz ataque frontal à candidatura do deputado Ratinho Júnior. Afinal de contas, o jovem deputado (jovem na idade, mas na política nem tanto) esteve, até bem pouco tempo atrás, no barco do governo Beto Richa, ocupando uma importante secretaria de estado, a Sedu. Entretanto, é bom que se frise, Júnior (como é chamado pelos mais íntimo) nunca foi e nunca será, do grupo de Beto Richa. A aliança entre eles foi pontual e estratégica, para ambos.
A pressão do grupo de Rossoni e do grupo de Ricardo Barros, faz com que o governador Beto Richa venha adiando sua decisão de se afastar do governo para concorrer ao senado. Richa tenta, de todas as formas, articular uma “união de forças” entre todos estes grupos, uma missão no melhor (ou pior) estilo das aventuras cinematográficas de Tom Cruise.
Analisando a grosso modo e sabendo como funciona a política nestes momentos cruciais de definição, é fácil perceber que a situação de Ratinho Júnior não é das mais confortáveis. Embora venha dizendo e garantindo sua pré-candidatura, fica cada dia mais evidente que ele terá sérios problemas para construir uma base de apoio que consolide seu nome entre a maioria do grupo de sustentação do governador Beto Richa.
Afinal de contas, se o grupo de Rossoni/Traiano não lhe apoiar e nem de Ricardo Barros/Bica Borghetti, o que restaria para Ratinho Júnior em termos de estrutura política/partidária para levar a cabo suas ambições palacianas em outubro próximo?
Sem dúvida que poder financeiro não falta a família Massa, uma das mais importantes do segmento de Comunicação no Paraná, entre outros investimentos empresarias que o grupo tem atuação.
Porém, sabemos também que dinheiro somente não ganha eleição. Fundamental mesmo é uma boa estratégia, além de fazer alianças e compromissos com pessoas certas, de preferência aquelas que cumpram com os acordos firmados anteriormente.
Ratinho Júnior parece ter acreditado, em determinado momento, que poderia fazer parte deste grupo que comanda o Paraná há quase 8 anos, mas percebeu que será difícil evitar uma implosão de sua candidatura, dado o nível de comprometimento entre as outras partes envolvidas no processo.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

2 Comments on “Jogo político pode implodir candidatura de Ratinho Júnior”

  1. Surgirá um nome novo ao governo do PR e será uma mulher. E garanto se sair vira governo.

Comments are closed.