Liderança de Pauliki deverá influenciar em outras candidaturas

A liderança política do deputado Márcio Pauliki deverá influenciar a tomada de decisão de outras candidaturas, tanto para deputado estadual como os postulantes a deputado federal, em Ponta Grossa e região. E esta liderança não se traduz somente pelo que Pauliki representa em termos políticos, mas também nos números frios e precisos de sua popularidade.
Em diversos levantamentos e amostragens realizadas no ano passado, por alguns institutos de pesquisa, o deputado mostrava-se com percentuais extraordinários e liderando tanto no plano estadual como federal. Este ano ainda não tivemos nenhuma pesquisa divulgada, até porque desde o dia 1º de janeiro, há a exigência do registro de pesquisas no TRE/TSE, de acordo com a legislação eleitoral.
Porém, mais do que números, a presença política de MP em Ponta Grossa, bem como em outras regiões do Estado, mostram que ele deverá balizar algumas candidaturas a Assembléia Legislativa e também à Câmara Federal,
Como ele mesmo já confirmou que disputará uma vaga de deputado federal, teoricamente colocam-se disponíveis os votos que teria para deputado estadual. E este espaço deverá ser preenchidos por outros postulantes a ALEP, animando eventuais candidaturas incipientes a se lançarem de fato a disputa eleitoral. E trata-se de uma boa quantidade de votos, lembrando que Márcio Pauliki foi o 12º mais votado com mais de 62 mil votos.
Entretanto, tem outro fato que deverá mexer também com o tabuleiro político: a janela para mudança de partido. Embora MP não tenha garantido isto, mas é certa sua saída do PDT. Mesmo com a permanência de Osmar Dias na sigla (situação não descartada pelo ex-senador) Pauliki deverá buscar uma nova sigla, mais próxima com sua conduta política mais ligada ao liberalismo.
Este movimento partidário certamente mexerá com outras peças, pois tal situação pode ser comparada a lei da física “dois corpos não ocupam o mesmo espaço”. Então, quando um deixa um espaço, outro certamente procura ocupá-lo e neste caso do PDT, por exemplo, outro candidato a deputado federal pode aproveitar a brecha e ocupar este espaço a ser deixado por Pauliki. Se isto é bom ou ruim, somente vamos saber quando tivermos o resultado das urnas em outubro.
Enfim, o contexto já esta desenhado. Os próximos 45 dias serão definitivos e esclarecedores. Todas as dúvidas e conjecturas que temos hoje serão debeladas, esclarecidas e pontuadas e afim de levar o jogo político a outro nível a partir de abril.
O certo mesmo é que neste momento muitas peças do tabuleiro ficam observando e analisando os movimentos do deputado estadual Márcio Pauliki. Seus movimentos desencadearão outros mais em um processo sequencial de revelações, muitas das quais podem ser surpreendentes.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →