Ministro Ricardo Barros garante: “Cida será candidata ao governo do Estado”

Ministro Ricardo Barros garantiu que Cida Borghetti será a candidata ao governo do Paraná. Foto: Divulgação.
Em sua passagem por Ponta Grossa na última segunda-feira (5) o Ministro da Saúde Ricardo Barros foi questionado sobre a situação da candidatura da vice-governadora Cida Borghetti como candidata oficial do Governo Estadual para as eleições de outubro, assim como a situação envolvendo o deputado estadual Ratinho Júnior, que também espera ser apoiado por Beto Richa e seu grupo político.
“A Cida Borghetti é a vice governadora, o Partido Progressista a autorizou a candidatura ao governo e ela concorrerá ao governo. Nós teremos agora a oportunidade de demonstrar a nossa força eleitoral e vamos fazer isto. Não vejo nenhum problema que outros se habilitem para concorrer a eleição”, disse Barros na entrevista coletiva logo após o evento.
Evidentemente que o ministro, que deverá deixar o cargo em abril próximo para concorrer a uma vaga de deputado federal, ressaltou as qualidades de sua esposa enquanto política experiente: “Temos a nossa vice-governadora que foi duas vezes deputada estadual, deputada federal, conhece muito como trazer recursos e lidar com a Assembléia Legislativa, como uma boa opção para governar o Paraná”.
Apesar do discurso oficial sereno, nas entrelinhas podemos verificar que existe um tom de uma certa intimação ao outro interessado em ser o candidato oficial do atual grupo do governador Beto Richa, o deputado Ratinho Júnior: “Acho que o Paraná terá boas opções, e nós esperamos estar juntos especialmente com o candidato Ratinho Júnior, que é nosso aliado, fez parte do governo, foi secretário e que estará junto conosco ou no primeiro ou no segundo turno”, finalizou.
Esta última parte das declarações do ministro Ricardo Barros, comandante chefe do PP no Paraná, e dono de uma grande rede de apoio político-eleitoral, deixa muito bem claro que, se Ratinho Júnior quiser mesmo impor sua candidatura ao governo, precisará ultrapassar algumas barreiras, principalmente aquelas ligadas aos bastidores do grupo de partidos ligados ao Governador Beto Richa.
MARCELO RANGEL E SANDRO ALEX EM SITUAÇÃO COMPLICADA
A candidatura do deputado Ratinho Júnior ao governo do estado passa por um processo de fritura a cada dia que passa. Se depender do grupo do Governador Beto Richa, fica claro e evidente que Júnior não será candidato oficial nas eleições para o governo do Estado. Caso queira bancar sua candidatura de forma independente, lançando-se como uma espécie de terceira opção na briga com Cida Borghetti e Osmar Dias pela preferência da maioria dos paranaenses, o deputado precisará ter muito peito e coragem.
Quem está com as barbas de molho nesta situação, são o prefeito Marcelo Rangel e o deputado federal Sandro Alex. Mais Rangel do que Sandro. Acontece que Marcelo aposta todas as suas fichas em uma campanha vitoriosa de Ratinho Júnior ao governo do Estado, de olho – quem sabe – em uma vaga de secretário ou na diretoria de alguma estatal.
Sandro, que é do PSD de Ratinho Júnior também queria ver o filho do apresentador do SBT na cabeceira da campanha para solidificar sua liderança dentro do partido no Paraná. Sua reeleição não depende disto, porém com um palanque ao lado do candidato oficial do governo ajudaria bastante.
Com o processo de fritura da candidatura de Ratinho Júnior, é possível que ambos precisem rever suas posições, principalmente depois da passagem de Ricardo Barros e Cida Borghetti por Ponta Grossa na última segunda-feira, quando despejaram verbas e promessas de novos investimentos na cidade e região.
Marcelo e Sandro devem estar sentindo uma certa pressão intrínseca para analisar melhor quem deverão apoiar nas eleições ao governo estadual.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →