Osmar Dias conversa com PSB no Paraná e pode levar Pauliki junto

Articulação poderá levar Osmar Dias e Márcio Pauliki para o PSB, que recebeu Aliel Machado (destaque) na semana passada. Xadrez político?
Para quem pensou que a movimentação dos bastidores da política paranaense estavam devagar demais, eis que o mês de março pode trazer surpresas interessantes para dar mais tempero neste molho.
Notícias vindas de Curitiba, dão conta de que o ex-senador Osmar Dias deverá se reunir nos próximos dias (primeira semana de março ainda) com a executiva Nacional do Partido Socialista Brasileiro – PSB para discutir sua possível filiação ao partido. Este movimento se intensificou deste a última semana, quando o PSB de São Paulo anunciou que não apoiará Geraldo Alkimin (PSDB) para a presidência da república.
Com isto, o PSB dá uma guinada devendo lançar o atual vice-governador Márcio França ao governo paulista, sem apoio dos Tucanos, e abrindo as portas para articular a candidatura de Álvaro Dias do Podemos à presidência.
A situação causa o famoso efeito dominó no Estado do Paraná, onde o PSB procura uma alternativa viável para lançar seu projeto visando o Palácio Iguaçu e encontra em Osmar Dias a opção perfeita para seu projeto.
Por outro lado, Osmar abre uma importante opção para migrar para o um partido, que embora tenha linhas socialista, mas não chega a ser a esquerda mais radical. Pelo contrário, o PSB tem buscado diversificar a linha de atuação de seus filiados, e nos estados, tem permitido parcerias e coligações com partidos de direita e de esquerda, conforme houver interesse e conveniência na ocupação de espaço.
A articulação seria perfeita, abrindo uma parceria entre PSB e Podemos, trocando apoio em São Paulo e no Paraná. Bom para os dois partidos.
PAULIKI VAI DE JUNTO
Se aceitar o convite do PSB, Osmar dias deverá levar consigo importantes lideranças, algumas ligadas ao atual Governo Estadual. Com o desgaste do governador Richa, principalmente depois da última etapa da Operação Lava Jato, aliados do governador tem buscado outras alternativas, pois existe o temor de que tudo isto respingue também na candidatura da própria vice governadora Cida Borghetti.
Uma das lideranças que poderá desembarcar no PSB é o deputado Márcio Pauliki, que já disse inúmeras vezes que “vai onde o Osmar for”.
Se tal situação se confirmar de fato, teremos então um verdadeiro “cheque mate” neste xadrez político envolvendo Pauliki e o deputado Aliel Machado, recém filiado ao PSB.
Imaginem: Márcio Pauliki e Aliel Machado disputando eleições pelo mesmo partido e concorrendo para deputado federal, disputando votos na legenda.
Seria uma situação inimaginável para grande parte dos analistas políticos, mas que, com esta articulação envolvendo Osmar Dias, poderá – de fato – ocorrer nas próximas eleições.
E quem levaria vantagem em uma eventual disputa interna para deputado federal? Aliel ou Pauliki?
Nesta configuração, Aliel tem apoio da Executiva Nacional, mas Pauliki estaria ao lado de Osmar Dias, que somente assinaria uma filiação do PSB de recebesse o comando do partido no Paraná e carta branca para negociar alianças.
Ainda fica difícil fazer uma avaliação mais concreta, pois tais articulações ainda estão no plano das conversas. A partir do momento em que tais configurações vierem a se confirmar, aí sim teremos condições de realizar uma análise mais profunda.
Por enquanto fica a expectativa se tal movimento ganhou força no final de semana e como irá começar esta primeira semana cheia do mês de março.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →