Vereadores de Carambeí reclamam de pressão e intimidação

Vereadores que não concordam com tudo na Câmara de Carambeí relatam pressão e intimidação. Foto: Divulgação.
Os vereadores que compõe o Grupo dos 5 estão preocupados com possíveis ameaças e intimidações que podem estar sofrendo por parte do grupo governista na Câmara Municipal de Carambeí e também da Prefeitura Municipal.
Tudo isto porque os vereadores Jeverson Gomes da Silva, Antonio Joel Coza, Emerson Scheick, Paulo Valenga e João Penteado, que não são de oposição radical, mas não dizem “amém” para tudo que vem do Poder Executivo, tentaram aprovar a instalação de uma CEI – Comissão Especial de Investigação para verificar denúncias do “fura fila” dos CMEIS.
“Chegou até nosso conhecimento que estavam furando a fila das matrículas nas creches, por influência política e queríamos investigar tal situação se estava ocorrendo mesmo”, relata o vereador Paulo Valenga.
Entretanto, na votação da instalação da CEI o bloco governista liderado pelo presidente Diego Macedo não aprovou a investigação, vencendo a votação por 6×5.
Depois desta tentativa de instalar a CEI, o Grupo dos 5 recebeu a informação de que haveria um movimento para investigar a assinatura de dois vereadores no requerimento da CEI. Haveria a alegação de que as assinaturas não seriam verdadeiras, ou seja dos próprios vereadores no documento.
“Há comentários de que teriam até contratado um perito grafotécnico para analisar as assinaturas e que se o perito constatasse qualquer imperfeição, poderia ser aberto até um processo de cassação dos vereadores, isto é um absurdo”, diz Valenga. “Nós sentimos isto como uma forma de intimidação”, completa.
NOS BASTIDORES
Evidentemente que nenhum dos governistas trata publicamente do assunto, até porque tudo isto estaria ainda no campo dos comentários nos corredores do legislativo de Carambeí.
Porém, os vereadores relatam que desde a formação do Grupo dos 5 a pressão tem sido muito grande. “A principal função do vereador é fiscalizar e se eles acham ruim a gente questionar certas coisas, então fica difícil. Então a gente vê como uma tentativa de intimidação mesmo, de pressão para que não atuemos mais desta forma, só podemos entender deste jeito”, diz Paulo Valenga.
Não é a primeira vez que os vereadores reclamam da atuação dos governistas. No mês passado, a divulgação de postagens nas redes sociais gerou grande polêmica também, envolvendo dois vereadores.
Entretanto, como a situação era entre um vereadores governista e outro do Grupo dos 5, nada foi levado adiante.
DURA REALIDADE
Infelizmente o presidente da Câmara Municipal de Carambeí, vereador Diego Macedo, perde uma grande oportunidade de demonstrar uma grandeza política. Ao invés de dialogar com todos os vereadores da mesma forma, de tratar as situações de forma republicana, o presidente é o primeiro a fomentar a discórdia entre os parlamentares, realizando reuniões sem separado e deixando que interesses externos influenciem até no relacionamento interpessoal dos vereadores.
O presidente do legislativo deveria ser o exemplo de imparcialidade e de organização, deixando que diferenças político-partidárias não interferissem nos trabalhos do legislativo.
Infelizmente Macedo faz exatamente o contrário.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

One Comment on “Vereadores de Carambeí reclamam de pressão e intimidação”

  1. É uma vergonha essa prefeitura de Carambeí espero que o povo veja os nomes que por sinal estão escancarados nas matérias que não são novidades. vejam os corruptos! cobrem! não adianta lutar contra a corrupção federal e estadual se a municipal está aí e vocês não cobram de quem votaram. eu sei em quem votei e quem votarei novamente.

Comments are closed.