Débito da prefeitura com o INSS preocupa fornecedores

Fornecedores da Prefeitura de Ponta Grossa temem pela situação financeira complica do município. Foto: Arquivo.
Fornecedores de produtos e serviços da Prefeitura de Ponta Grossa estão preocupados com a notícia veiculada nesta semana, de que a Prefeitura teve valores bloqueados do FPM – Fundo de Participação dos Municípios, do repasse mensal do Governo Federal.
A informação partiu da própria Secretaria de Fazenda do município, salientando inclusive que a pasta precisou reorganizar os pagamentos programados para o mês de abril em função do bloqueio de R$ 2,6 milhões referente a dívida do município com o INSS.
“O Município está se reorganizando, está vendo quais ações que são importantes e quais podem ser deixadas para mais tarde. O débito aconteceu um dia antes do pagamento de fornecedores, inclusive dos hospitais, e o Município, para suprir essa necessidade, teve que abrir mão de suas provisões, que são realizadas mensalmente para o pagamento do 13º salário.  Foi dessa provisão que a Prefeitura conseguiu pagar a dívida com os fornecedores após o débito”, explicou o secretário da Fazenda, Cláudio Grokoviski através de nota oficial.
As declarações do secretário de Fazenda são preocupantes. Isto porque, se a Prefeitura precisou pegar os recursos das provisões para o 13º dos servidores, é sinal de que não terá dinheiro suficiente para arcar com as despesas dos próximos meses. Ou deixará de pagar os fornecedores ou deixar de pagar o décimo terceiro dos servidores.
Outra informação preocupante dos próprios gestores, é de que o município não vem recolhendo a totalidade da cota patronal do INSS dos trabalhadores, deixando de quitar cerca de 40% do encargo mensalmente. Isto significa dizer também que a conta vai sobrar para os próximos governos.
Assim como a atual Gestão herdou uma dívida de quase 30 anos da Prefeitura dos governos anteriores, e está pagando o parcelamento desta dívida antiga mensalmente, o fato do município estar quitando parcialmente o INSS patronal por certo acarretará novas cobranças do órgão no futuro próximo.
MUITAS DÍVIDAS PARCELADAS
Além do INSS, a Prefeitura já parcelou dívidas com a Caixa Econômica Federal referente ao FGTS, e ainda dívida com a Copel e a Sanepar, o que já inviabiliza o caixa da Prefeitura para investimentos.
Muitos fornecedores temem, inclusive, de participar de licitações por conta desta confissão dos gestores perante as dificuldades financeiras da Prefeitura.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →