Gravação coloca (cada vez mais) Beto Richa na mira de Sérgio Moro

Depois das denúncias de envolvimento nas Operações Quadro Negro e Pecúlio, ex-governador Beto Richa se vê agora envolto com a Operação Lava Jato. A gravação de áudio de um conversa envolvendo um ex-assessor, Denilson Roldo, pode colocar Richa diretamente na mira do juiz Sérgio Moro.
No áudio divulgado na última sexta-feira (11) pela Revisto Isto É, Denilson Roldo, aparece conversando com um diretor da empresa Contern, que estava interessada em participar de uma licitação para pavimentação da PR 323, no Noroeste do Estado em 2014. Roldo oferecia a participação da empresa em uma outra obra para construção de usinas térmicas em que a Copel estava atuando, em troca da desistência da Contern em participar da licitação da pavimentação da rodovia. A pavimentação da rodovia estaria “prometida” para a Oldebrecht, que faria uma doação para a campanha de Richa naquele ano, de acordo com a delação feita pelo ex-diretor da empreiteira, Benedicto Júnior.
Ainda não se sabe a extensão do problema para Beto Richa. A gravação não deixa claro se o ex-governador sabia da negociação do seu assessor da época. Porém, a proximidade histórica de Roldo com Richa deixa a pergunta no ar: até que ponto Richa poderia sabia ou não desta negociação?
É bom lembrar que desde que renunciou ao governo, Beto não tem foro privilegiado e o inquérito seguira na 13ª Vara Federal de Curitiba, do juiz Sérgio Moro e o processo deverá seguir lá mesmo porque, mesmo se for eleito senador, a nova súmula do STF prevê que o foro não vale para crimes supostamente cometidos antes do político ocupar o cargo. Ou seja, mesmo eleito, o inquérito prosseguirá na primeira instância.
Se a campanha para o Senado Federal parecia tranquila, Beto Richa tem muito mais por se preocupar. Denilson Roldo foi exonerado de um cargo de diretor da Copel, na mesma sexta-feira pela Governadora Cida Borghetti, de outras cinco funções de conselheiro que exercia em estatais do governo estadual.
Sem cargo e sem a proteção política, fica evidente que Roldo poderá fechar uma delação e aí sim, se ainda a situação envolvendo diretamente o ex-governador é nebulosa, com o depoimento de Roldo a vida de Beto Richa poderá ficar cada vez mais complicada, além do desgaste político eleitoral.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *