Manobra de Mainardes joga vereadores contra a opinião pública

Manobra do presidente Mainardes garantiu aprovação do reajuste aos vereadores. Foto: Kauter Prado – CMPG
Uma manobra da velha política praticada pelo presidente da Câmara Municipal de Ponta Grossa, Sebastião Mainardes Júnior (DEM), jogou os vereadores contra a opinião pública.
Ocorre que o presidente do legislativo incluiu, na último hora, um Projeto de Resolução da Mesa Executiva que concedeu 5% de reajuste aos servidores concursados e de cargos em comissão, bem como de 3,86% para os vereadores. A proposta não constava na Ordem do Dia da sessão da última quarta-feira.
Além disto, o projeto não deixava claro que seriam votados os dois reajustes ao mesmo tempo. Alguns vereadores reclamaram que o presidente teria informado a eles (vereadores) de que o projeto seria somente para o reajuste dos servidores da Câmara.
“Pela forma como o presidente apresentou o projeto, entendemos que a votação seria em separado, mas não foi isto que aconteceu”, relatou o vereador Ricardo Zampieri (PSL).
Imediatamente após o término da sessão, alguns vereadores informaram que estavam solicitando a dispensa do reajuste em seus salários e estariam protocolando requerimento que o valor do reajuste, algo em torno de R$ 300,00, fosse destinado para entidades sociais do município.
“Imediatamente já fiz o requerimento e já encaminhei para a Mesa Executiva para que este valor seja destinado para entidades sociais da cidade”, disse Ricardo Zampieri.
Outros vereadores também foram no mesmo sentido: João Florenal, Pastor Ezequiel, Dr. Magno, Geraldo Stocco e Rudolf Polaco também relataram que estarão indo na mesma ideia de Zampieri, renunciando ao valor do reajuste.
MANOBRA SORRATEIRA
O presidente da Câmara de Ponta Grossa parece ter agido de forma sorrateira, aproveitando que a opinião pública e a imprensa estão dando mais atenção as notícias relacionadas a greve dos caminhoneiros e acabou por incluir a proposta do reajuste dos vereadores às escondidas, para que a proposta não tivesse a repercussão antecipada na imprensa.
Foi uma manobra lamentável, pior exemplo da velha política, das coisas feitas às escondidas, por trás das cortinas, deixando um péssimo exemplo de conduta na gestão do Poder Executivo.
Claro que a iniciativa do presidente Mainardes é legal, pois é prerrogativa do cargo e da Mesa Executiva propor este tipo de projeto. Entretanto, a atitude de Mainardes atenta contra os princípios da moralidade e da transparência, fundamentais para que um presidente do legislativo possa ser considerado um bom gestor.
Lamenta-se profundamente que alguns poucos vereadores, não mais que meia dúzia de cardeais que comandam os bastidores da Câmara Municipal de Ponta Grossa, atuem de forma a jogar os demais vereadores.
Ainda há tempo do presidente da Câmara de Vereadores de rever esta iniciativa, reconhecendo o erro e mostrando grandeza em rever este procedimento. Basta revogar a votação de ontem (quarta-feira) e apresentar um outro projeto somente com o reajuste aos servidores. Tomara que assim seja.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →