A cartada estratégica de Pauliki com João Arruda, que pode surpreender nas urnas

Pauliki e João Arruda. Parceira que pode dar certo.
O deputado estadual Márcio Pauliki também foi surpreendido quando Osmar Dias anunciou, aos 45 minutos do segundo tempo, a desistência de concorrer ao governo do estado. Afinal de contas, Pauliki estava coordenando o grupo de trabalho que preparava as linhas gerais das propostas de campanha a serem apresentadas para a população.
Mas, o que parecia ser ruim, em 48 horas mudou completamente de figura.
Claro que, quando os demais concorrentes à Câmara Federal perceberam que Márcio Pauliki não tinha candidato ao governo e poderia ser convidado a levar seu partido e o capital político/eleitoral para a campanha de Cida Borghetti ou de Ratinho Júnior, trataram logo de providenciar a famosa “operação bloqueio” evitando que a coligação se firmasse. Faz parte do jogo.
Nada de anormal, afinal de contas, Aliel Machado e Sandro Alex, com disputarão o voto do eleitorado da região dos Campos Gerais, por certo também não gostariam de contar com o deputado em suas respectivas coligações. Seria mais um para dividir votos na chapa. Melhor não arriscar.
Até podemos comparar tais situações com um torneio de futebol. Os 3 principais times estavam prontos e já escalados para começar o jogo. De repente, o comante do time de Osmar Dias, que no caso era ele mesmo, caiu fora. Claro que os times de Ratinho e Cida não queriam jogadores do time de Osmar, os quais têm condições técnicas similares e seriam concorrentes difíceis para suas posições.
O jeito então foi formar um outro time, desta vez com o deputado federal João Arruda no comando. Neste time do MDB entraram então o Solidariedade de Pauliki, e PC Do B e o PDT, que não terá outra alternativa também.
Mas, o que esperar da chapa capitaneada por João Arruda, com os demais partidos e políticos que estarão acompanhando nesta breve competição da campanha eleitoral?
A grande motivação é Arruda representar a novidade. Enquanto Cida Borghetti tentará a reeleição e vem de dois mandatos como vice e Ratinho Júnior foi secretário nos nos governo Beto Richa (tem histórico de governo), João Arruda representa um projeto político diferente dos outros dois principais adversários, motivo mais do que suficiente para chamar a atenção de grande parte do eleitorado paranaense.
Embora seja a novidade, não dá pra dizer que lhe falta experiência. O histórico de Arruda diz muito, além da presença constante com fortes lideranças no Estado do Paraná e também em Brasília.
Pauliki não poderia ter escolhido time melhor para jogar e João Arruda e o MDB ganham um reforço de peso. E este time que foi formado em cima da hora, como o jogo prestes a começar, pode sim surpreender. Tudo dependerá  da estratégia a ser adotada pelo seu comandante e demais jogadores.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *