Caiu a casa dos “amigos” do Pedágio; seja bem vinda Laja Jato ao Paraná

Já não era sem tempo: a Operação Lava Jato chegou aos contratos de pedágio no Estado do Paraná. De acordo com as investigações feitas pelo Ministério Público e Polícia Federal, desde 1999, quando foi implantado o famoso Anel de Integração, proposto pelo então governador Jaime Lerner, o esquema de propina e corrupção foi instalado entre as empresas que administram as praças de pedágio no Estado e grupos políticos instalados no Palácio Iguaçu.
O esquema montado é muito simples, mas bem organizado. As concessionárias formavam outras empresas coligadas, que firmavam contratos com as próprias concessionárias para a prestação de serviços com preços superfaturas. Estas empresas “filhotes” pagavam propina para o grupos de técnicos do governo e também para políticos, para – entre outras coisas – realizar obras e aditivos em contratos e manter o sistema funcionando.
Ainda segundo as investigações do MPF, o esquema começou no Governo de Jaime Lerner, mas não é possível (ainda) identificar se o ex-governador, ou seu sucessor, Roberto Requião, sabiam e/ou participam do esquema de corrupção, já que um grupo de técnicos do governo mantinha o sistema funcionando desde o começo e passou por todos os governos até janeiro deste ano.
O mesmo já não se pode dizer do Governo Beto Richa. As delações feitas afirmam que não somente continuou o esquema, como foi ampliado e melhorado, e contou com a participação direta do ex-governador tucano, o qual teria recebido dinheiro das propinas.
As delações de Nelson Leal Júnior, ex-diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER); Hélio Ogama, que comandou a concessionária Econorte; e Hugo Ono, ex-controlador da Econorte, colocam dados a disposição dos investigadores, os quais ainda vão se debruçar nos documentos colhidos durante as prisões e buscas realizadas nas sedes das empresas concessionários dos pedágios.
A quem diga que muita coisa ainda está por surgiu. Seria somente a ponta do iceberg, e que no momento que o ex-governador, o seu irmão Pepe Richa, além do presidente da Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR), João Chimanazzo Neto, (estes últimos dois presos na última quarta-feira (26) começarem a falar, há expectativas que outros nomes de políticos comecem a aparecer.
Então, agora podemos dizer: SEJA BEM VINDA LAVA JATO AO PARANÁ!
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →