Campanha de Oriovisto ao senado decola e ganha apoio em todo o Estado

Professor Oriovisto discursa para apoiadores em Curitiba. Campanha vem crescendo rapidamente.
Uma campanha que começou tímida, sem grande conhecimento, ganhou corpo no último mês e começa a despontar como um dos favoritos para chegar ao Senado da República. É assim a trajetória do Professor Oriovisto Guimarães, que se lança candidato a um cargo público pela primeira vez.
Um dos fundadores do Grupo Positivo, uma das maiores instituições de ensino da América Sul, e também no segmento de tecnologia, Oriovisto vem arregimentando apoiadores e aumentando citações em pesquisas de uma forma rápida e constante.
Podemos analisar este crescimento como resultado da popularização de suas propostas, todas envolvidas com a melhor das condições para o crescimento do país, e a moralização da política.
Afastado da direção das empresas desde 2012, por vontade própria, Oriovisto Guimarães decidiu ser candidato por não concordar mais com os rumos da política.
“Ninguém deve ficar indiferente nas próximas eleições. Se conformar e não fazer nada é uma forma de concordar com tudo o que de ruim tem acontecido na nossa política. Cada voto ajuda a mudar o Brasil ou deixar o país como está. Se todos nos unirmos, podemos mudar o Brasil para melhor”, disse ele em recente entrevista.
Adepto do liberalismo econômico, Oriovisto garante que não precisou de dinheiro de ninguém para fazer campanha. “Tenho recursos suficientes, vou fazer uma campanha de propostas de renovação, com baixo custo”, garante.
Uma das principais bandeiras do Professor Oriovisto, no Senado, é acabar com os privilégios dos políticos. “Político tem muito privilégio, muita mordomia, vamos acabar com esta farra. Política não é profissão!”, finalizou.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →