Governo Rangel quase acabou com a Efapi e recuperação do evento será um desafio

EFAPI já foi referencia em eventos no país. Recuperação será difícil.
O Governo Marcelo Rangel ficará marcado, entre outras coisas, por ter quase acabado com a Exposição Feira Agropecuária dos Campos Gerais, a EFAPI. A exposição, que já foi uma das maiores do país, não foi realizada em 2017 e na edição de retorno, este ano, a participação dos expositores e do público ficou abaixo do esperado.
Rangel preferiu dar prioridade para a Munchenfest, evento que foi terceirizado e só deu bons resultados para os empresários que se aproveitaram do incentivo do prefeito.
A Comissão Especial de Investigação – CEI, montana no ano passado na Câmara Municipal de Ponta Grossa, no comando do vereador Ricardo Zampieri, provou que o governo Rangel investiu mais de R$ 400 mil em um evento privado, gerando prejuízos para os cofres públicos.
Esta escolha lamentável, desmontou a EFAPI e com a omissão da Sociedade Rural dos Campos Gerais, ficamos um ano sem um dos eventos mais tradicionais do Paraná.
Claro que este hiato no calendário das exposições brasileiras, fez com que empresário e expositores desviassem suas atenções para outros centros.
Prova disto foram os inúmeros estandes vazios e a baixa procura pelos locais de exposição.
Hoje, a EFAPI perde de longe para a Expovel, de Cascavel, a ExpoBel, de Francisco Beltrão, nem se falando na Expoingá e na Feira Internacional de Londrina, maior evento do gênero Estado do Paraná.
E para recuperar parte do prestígio que a EFAPI já possuiu levará um certo tempo, muitos anos certamente, pois, infelizmente o estrago feito pela atual administração municipal já está feito.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →