Maioria dos candidatos a deputado estadual não tem acesso ao fundo partidário

Em mais um levantamento da Rádio MZ FM e do Polícia Em Destaque, constatam que os candidatos a deputado estadual tem mais dificuldades para ter acesso ao Fundo Partidário, orçamento público repassado aos partidos políticos para a campanha eleitoral deste ano.
Se por um lado os candidatos a deputado federal tem acesso a verbas maiores, alguns acima de R$ 1 milhão, dos partidos, os candidatos a estadual tem que ficar mais com o pires na mão, dependendo de recursos próprios e doações.
Este fator pode ser explicado pelo fato de que os deputados federais é que compõe a contagem para divisão a que as siglas tem direito do próprio fundo partidário, bem como do tempo de TV e outros arranjos políticos-partidários. Daí a importância maior dada pelos partidos para as campanhas a deputado federal, principalmente aos mais conhecidos e com mais chances de (re)eleição.
Neste levantamento feito até o dia 24/09, segunda-feira, no site do TSE (sistema de Divulgação das Contas dos Candidatos), os candidatos João Carlos Gomes (PP) e Júlio Kuller (MDB) foram os que mais receberam recursos do Fundo Partidário, na casa dos R$ 100 mil cada um. Outros candidatos pegaram somas menores.
Porém, a maioria depende mesmo dos recursos próprios e das doações, pelo menos nas informações parciais fornecidas ao sistema do TSE.
Veja na planilha abaixo as fontes de arrecadação dos principais candidatos a deputado estadual por Ponta Grossa e região dos Campos Gerais:

  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →