Eleição da mesa executiva em Carambeí causa racha entre presidente e “primeiro ministro”

O chefe de gabinete da prefeitura não estaria propenso a apoiar uma nova eleição de Macedo na presidência do legislativo carambeiense. Foto: Divulgação.
A disputa para a Mesa Executiva da Câmara Municipal de Carambeí deverá ser muito interessante este ano. Tal qual em 2016, quando as articulações para o comando da Casa gerou um “racha” entre aliados do governo municipal, desta vez não será diferente. O atual presidente, Diego Macedo (PSD) quer se reeleger e esperava contar com total apoio do prefeito Osmar Blum, que é do mesmo partido, e do “primeiro ministro” da Prefeitura, Márcio Taques, que é do DEM.
Entretanto, Macedo vem sentindo que existe um movimento para puxar o seu tapete. De acordo com pessoas ligadas aos dois grupos, as tratativas para a nova eleição da mesa executiva não estão agradando o atual presidente. Exemplo disto é que ele vem constantemente lembrando a “parceria” com o governo municipal, pelo menos de sua parte, e vem deixando nas entrelinhas de seus discursos, pontas soltas de descontentamento.
O recado já foi dado: ou governo fecha com ele, ou a situação – doravante – não ficará tão fácil assim no legislativo.
Interlocutores dizem que Márcio Taques estaria propenso a elevar o atual vice da Câmara, Diego Silva, a condição de presidente, e para tanto, estaria utilizando todo o seu poder de persuasão.
Neste jogo de disputa de poder, o certo é que o racha já está instalado. Resta saber quem terá “mais garrafa vazia pra vender” até o dia da eleição da mesa.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →