Eleição da Mesa: Quem vai puxar o tapete de quem?

Mingo e Milla brigam pela preferência do grupo do deputado Plauto, com Mainardes assistindo tudo de camarote.
Como era de se esperar, após as eleições de outubro, o processo para escolha da nova Mesa Executiva da Câmara Municipal de Ponta Grossa, especialmente do próximo presidente do legislativo, tem sua temperatura elevada a cada dia que passa.
Nesta semana que passou, por exemplo, o assunto ganhou os bastidores e corredores da Câmara, como capítulos eletrizantes e com aquele famoso tempero que toda novela precisa apresentar aos seus espectadores.
Nós do Política Em Destaque, é claro, mergulhamos nos bastidores para trazer as melhores informações, “causos” que não são contados de maneira oficial, e situações que os vereadores não deverão confirmar em público, obviamente.
CAPÍTULO 1: PUXANDO O TAPETE
O vereador Daniel Milla (PV) articulou, desde a última eleição da mesa, para que seu nome fosse ungido pela base governista como candidato preferencial do grupo para assumir a presidência. E, de fato, antes das eleições para deputado, especialmente, tudo caminhava para este final feliz.
Entretanto, um grupo especialmente, ficou muito decepcionado com o resultado das eleições para deputado estadual: o deputado Plauto Miró, que fez minguados 5 mil votos em Ponta Grossa.
Interlocutores contam de que, logo após a dura a apertada eleição de Plauto, durante um evento em uma propriedade rural bastante conhecida, Plauto cobrou duramente dos vereadores aliados a pífia votação conquista na cidade, que quase lhe custou uma derrota perigosa. Plautinho teria colocado toda a culpa pelo fraco desempenho nas urnas nos vereadores aliados, entenda-se: Milla, Mainardes e Mingo Menezes, principalmente.
CAPÍTULO 2: BARRADO NO BAILE
Iniciado o processo para formação do grupo visando a eleição dos membros da nova Mesa Executiva, Plauto – que vai brigar para manter-se na primeira secretaria da Assembléia – teria barrado o nome de Daniel Milla para ser o candidato oficial do grupo à presidência do legislativo.
De acordo com informações de bastidores, o nome indicado por Plauto, seria do vereador Mingo Menezes, com quem Plauto tem relações de amizade há muitos anos e uma certa confiança na lealdade de Mingo.
Entretanto, o nome de Mingo esbarra em um outro problema: o convencimento dos demais vereadores do grupo ao seu nome, pois haveria um sentimento quase que comum de que, se fosse com Mainardes (que não pode ser candidato pela terceira vez seguida) ou com Milla, haveria mais fluidez no processo. Já com Mingo, talvez a conversa tenha que ser mais – digamos – aprofundada.
CAPÍTULO 3: O PULO DO GATO
Neste sentido – e vejam bem que são apenas suposições deste analista baseada em relatos de bastidores – a saída para arrumar tudo isto e tirar “o bode da sala”, seria eleger Mingo Menezes, com Sebastião Mainardes de vice na chapa.
Este ajuste não impediria, por exemplo, uma eventual assunção de Mainardes ao cargo de presidente, mais tarde, se por algum motivo Mingo resolvesse se licenciar da presidência. Quem substitui o presidente, é o vice, e neste caso, não haveria impedimento regimental algum.
Assunto resolvido?
Obviamente que não!
CAPÍTULO FINAL
Esta novela ainda rendará novos e surpreendentes episódios. Até porque tem muita gente metendo a colher de pau nesta panela e a cada passo, um tempero novo é adicionado.
Até porque se alguém acredita mesmo que está tudo certo e resolvido, mesmo com os vereadores governistas, as articulações mostram que muitas surpresas ainda podem ocorrer, até mesmo com um bate chapa surpreendente.
Aguardemos, então, os próximos capítulos!
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →