Eleição de Diego Silva é comprovação de “armação”, garante ex-vereador

Diego Silva e Jeverson Gomes da Silva. Ex-presidente garante que houver armação no processo que cassou mandato de parlamentares em Carambeí.
O ex-vereador Jeverson Gomes da Silva, cassado recentemente no caso envolvendo suposta falsificação de assinatura em documento da Câmara Municipal de Carambeí, reveleu que a eleição do vereador Diego Silva (PR) é a confirmação do que ele chamou de “armação” e “conspiração política” para acabar com a oposição no legislativo ao atual governo municipal.
Em entrevista ao jornalista Gleydson Carlos, editor do Correio Carambeiense, Jeverson entende que a articulação montada para a composição da nova Mesa Exeutiva da Câmara Municipal, é comprovação de todo o esquema armado para cassar o mandato dele, bem como dos ex-vereadores Paulo Valenga e de Emerson Scheik.
ÁUDIOS REFORÇAM A TESE
De acordo com Jeverson, dois áudios circulam nas redes sociais. A fala é atribuída e Tau Carlos Macedo, pai do vereador Diego Macedo, atual presidente. Nos áudios, Tau Macedo dá a entender que houve realmente alguma coisa nas articulações que envolveram a montagem da chapa que será aclamada nesta terça-feira (27/11) para dirigir a Casa de Leis de Carambeí no biênio 2019-2020.
“É…vai ser hoje (sexta-feira, dia do registro das chapas), mas o Diego (Macedo) está muito triste, porque armaram né…o Diego Silva, o (Ricardo) Enevam e o Márcio (Taques) armaram para tirar ele da presidência…”, diz Tau Macedo, em conversa com um interlocutor, o qual não foi identificado nas conversas.
Em outro áudio, Tau Macedo faz referência a alguma irregularidade que possa eventualmente ter ocorrido no processo de escolha de Diego Silva para a presidência: “Porque o Márcio (Taques) não conseguiu se impor nesses dois anos lá na Câmara, agora achou os caras que ‘manipularam tudo’ . E uma coisa vou te dizer: os três (vereadores) que foram cassados ‘tão’ mexendo com os documentos e parece que tem alguma coisa…E se eles ‘provar’ a manipulação do Márcio com o Diego Silva e Enevam, aí quem ‘vai’ ser cassado ‘vai’ ser eles e os caras voltam de novo…”, relata Macedo pai.
PRESIDENTE REVOLTADO
Todo este processo de montagem da nova Mesa Executiva mostrou claramente que a preferência do governo municipal sempre foi por Diego Silva, que segundo Jeverson Gomes da Silva, foi escolhido para “montar” toda a peça que culminou na cassação dos vereadores.
O atual presidente, Diego Macedo, que foi preterido pelo bloco governista, teve que se contentar com a segunda secretaria, cargo que em nada influencia nos trabalhos do legislativo.
Macedo esperava, inclusive, ser reconduzido ao cargo de presidente, para mais dois anos, pois segundo pessoas ligadas aos familiares do vereador, Macedo teria ambições políticas que passam por uma candidatura a prefeito em 2020.
Mas, diante dos últimos acontecimentos, se quiser ser candidato a prefeito, Macedo precisará se movimentar para outros grupos políticos, pois seu cartaz perante a cúpula do governo municipal não está nada bom.
PROCESSO NA JUSTIÇA
Na reportagem do Correio Carambeiense, Jeverson Gomes da Silva reforça o processo existente na justiça e que busca provar que realmente a cassação do mandato dos 3 vereadores citados foi uma armação política, e que tem expectativa que o judiciário possa reverter a situação mediante os documentos, os áudios e até depoimentos que estão sendo juntados ao processo.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *