Oposição na Câmara de PG se fortalece depois das eleições da Mesa Executiva

Oposição ganhará mais força, apesar de não vencer as eleições da Mesa Executiva. Foto: Kauter Prado – CMPG.
Mesmo não conseguindo conquistar nenhum cargo na Mesa Executiva da Câmara Municipal de Ponta Grossa, a oposição saiu fortalecida do processo de eleição realizado no início do mês de dezembro, uma vez que conseguiu agrupar um número maior de vereadores em comparação a eleição anterior.
E Se nas legislaturas anteriores o prefeito Marcelo Rangel teve absoluta tranquilidade para aprovar os projetos de interesse do governo municipal, sem maiores solavancos, o mesmo não se pode dizer daqui por diante, principalmente depois que dois blocos distintos disputaram os cargos da Mesa Executiva.
O primeiro sintoma desta mudança se refletiu nas próprias eleições, pois em 2016 não houve disputa, e a chapa principal foi eleita por aclamação. Desta vez, Daniel Milla e Sebastião Mainardes Júnior, tiveram a incômoda presença de Ricardo Zampieri e Pastor Ezequiel na chapa de oposição.
Desta vez, houve um duro e complexo processo de articulação, onde, em determinado momento, o bloco de oposição chegou a contar com 11 vereadores, e só não complicou mais a eleição para os governistas, porque o último voto que faltava para completar a maioria, acabou por não se confirmar. Diante da ausência da maioria, outros 4 vereadores recuaram e proporcionaram a vantagem de 16×7 suficientes para reeleger o mesmo grupo no comando da Casa de Leis.
Entretanto, esta maioria absoluta conquista nas eleições da Mesa não deverá ser mantida nas votações em plenário nos próximos 2 anos.
Isto porque, não somente os 7 vereadores que mostraram, através do voto no dia 13 de dezembro, que estão fora do bloco governista, deverão contar com o reforço de – pelo menos – mais dois…três, até quatro vereadores em votações polêmicas de projetos que possam de fato impactar nas próximas eleições municipais.
E neste contexto, cabe salientar mais um ingrediente neste tempero todo: o prefeito Marcelo Rangel não será candidato em 2020, mas os vereadores, certamente a grande maioria, tentarão a reeleição. E este componente é de suma importância nesta próxima legislatura e nas votações mais complexas dentro do legislativo de Ponta Grossa.
Dito isto meus amigos e amigas, caberá agora verificarmos como este bloco se comportará diante dos grandes desafios que a Câmara Municipal tem pela frente, sendo o principal deles, defender os interesses da população.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →