PAULIKI x ALIEL: veja porque dificilmente veremos este confronto nas urnas em 2020

Disputa entre os deputados Pauliki e Aliel é pouco provável em 2020.
Uma das disputas políticas mais esperadas dos últimos tempos em Ponta Grossa dificilmente será vista na urnas: entre o deputado estadual Márcio Pauliki (SDD) e o  deputado federal Aliel Machado (PSB) para a Prefeitura de Ponta Grossa em 2020. Alguns motivos nos levam a tecer este comentário e fazer um rápido exercício de previsão, os quais passamos a detalhar.
O primeiro ponto a abordar é a analisar da atual conjunto política. Reeleito com quase 100 mil votos para um novo mandato na Câmara Federal, Aliel Machado conquistou votos em importantes região do Paraná, sendo hoje, um dos principais líderes estaduais de seu partido, gozando de prestígio político invejável.  Aliel não só manteve a base eleitoral conquistada em 2014, como ampliou consideravelmente esta base para outras regiões e cidades do estado.
Entretanto, o próprio deputado sabe que a cobrança para que ele venha a ser candidato a prefeito em 2020 será muito forte. Aliás, nos bastidores, já se trata deste assunto. Afinal de contas, vale lembrar o que aconteceu na eleição de 2016, quando pouca gente acreditava na disputa do segundo turno, e Aliel não somente chegou ao segundo turno como causou temor na campanha de reeleição do prefeito Marcelo Rangel. Sua candidatura para 2020 seria um passo natural na ordem política.
Márcio Pauliki foi derrotado em sua campanha para deputado federal, principalmente, pela desistência em Osmar Dias em cima da hora. Osmar foi desleal com Pauliki e mais um grande número de apoiadores e minou a coligação em que Pauliki estava. Ponta Grossa e a região perdeu a chance de ter 3 deputados federais e mais recursos de emendas impositivas.
Entretanto, isto que poderia ser um ponto ruim para que o deputado estadual, ao mesmo tempo pode ser um ponto altamente positivo. Se fosse eleito deputado federal, Pauliki teria que cumprir o mandato (como prometeu, inclusive) e tinha pretensões de outros vôos, os quias o afastariam cada vez do Palácio da Ronda. Sem mandato a partir de janeiro, Pauliki não só terá mais liberdade para atuar nos bastidores, como também sofrerá, com toda certeza, o assédio de grupos políticos interessados em construir uma articulação visando as eleições municipais. Diga-se de passagem que este assédio já começou.
Nos bastidores dos gabinetes de Aliel, tanto em Brasília, como em Ponta Grossa, se fala muito em dar continuidade ao trabalho feito nos últimos 4 anos em prol da região dos Campos Gerais e de outras cidades em que o deputado tem feito alianças e conquistado verbas importantes do Governo Federal. Não perder este capital político é o principal objetivo do grupo de Aliel Machado, e dele próprio, é claro.
Já Pauliki, comedido nos comentários quando se trata de futuro político, garante apenas que vai continuar lutando para que seu legado não seja estagnado, principalmente quanto ao Instituto do Câncer dos Campos Gerais, estrutura que o deputado tem trabalhado incansavelmente para que seja instalada brevemente no Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais. Porém, sabe-se que a pergunta mais ouvida por Márcio Pauliki é sobre uma eventual candidatura a prefeito em 2020.
Há quem diga até que, tal qual aconteceu em 2014, quando fizeram dobradinha estadual/federal, Aliel e Pauliki podem até estar na mesma trincheira nas eleições de 2020, mesmo com o afastamento político ocorrido entre ambos nos últimos anos.
É que, conforme já vimos em outras oportunidades, quando se trata de eleição para a Prefeitura, forças antagonistas tendem a se aproximar, e outras que parecem estar juntas em determinado momento, podem sofrer afastamento irremediável. As vezes não se vence uma batalha derrotando o adversário, mas minando suas forças para que não vença a guerra.
Porém, como dissemos no início do comentário, o desejo de alguns em ver a disputa entre Aliel e Pauliki nas próximas eleições municipais parece ser um sonho distante e pouco provável. Pelos menos por enquanto, de acordo com o movimento das águas em que os respectivos barcos navegam.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *