Rangel diz que discutirá sucessão somente em 2020

Em entrevista, Rangel diz que vai esperar até perto das eleições para tratar do assunto de sua sucessão. Foto: arquivo
O prefeito Marcelo Rangel disse, em entrevista ao Jornal da Manhã no último final de semana, que tratará do assunto da sua sucessão na Prefeitura de Ponta Grossa, somente em maio de 2020, cinco meses antes da eleição municipal.
De acordo com Rangel, a prioridade nos últimos dois anos de mandato, é “realizar as obras programadas pelo governo municipal”. A sucessão, portanto está em segundo plano.
Em termos políticos, o prefeito está adiando uma decisão que poderia ser tomada de forma antecipada, para que o nome que fosse levado à condição de sucessor do atual governo, ganhasse visibilidade perante a população.
No entanto, Rangel e seu grupo político, prefere deixar para mais tarde esta decisão, situação que certamente não agrada a vice-prefeita Elizabeth Schmidt, a qual espera que seu nome seja o preferencial do grupo governista visando as eleições de 2020.
Ao abrir mão de guindar um nome de liderança do seu grupo, o prefeito deixa claro que não atuará como protagonista na campanha eleitoral, talvez se limitando a apoiar o nome que pode ser, eventualmente, da vice-prefeita.
A pergunta é: porque Rangel e seu grupo prefere ficar em silêncio até os meses próximos as eleições?
Não seria prudente lançar um possível nome agora para que este virtual candidato fosse ganhando corpo e fôlego até o pleito?
Até porque, como já vimos, nas últimas eleições, os candidatos precisam pavimentar seus respectivos caminhos e candidaturas em cima da hora podem naufragar por falta de apoio político.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →