A prisão de Richa e o escândalo dos pedágios pode respingar no Governo Ratinho Júnior?

Ratinho Júnior foi secretário de Beto Richa. Escândalo poderia respingar no atual governo. Foto: divulgação.
Uma das perguntas que se faz nos bastidores da política paranaense, que até de certa forma acaba tornando-se um jogo de apostas, é se a prisão do ex-governador Beto Richa pode – em algum momento – respingar no Governo de Ratinho Júnior.
Richa foi preso na novamente na semana passada por conta do envolvimento em escândalo de corrupção nos contratos de pedágio no Paraná (de acordo com o Ministério Público Federal). Segundo o MP, ele, seu irmão Pepe Richa e mais 31 pessoas tiveram envolvimento em desvios de recursos públicos que chegam a ordem de R$ 8,4 milhões.
É bom lembrar que Ratinho Júnior foi secretário do Desenvolvimento Urbano no segundo mandato do ex-governador, saindo do governo somente antes do período eleitoral. Claro e evidente que não se pode afirmar que Ratinho tinha algum conhecimento do suposto esquema de corrupção dentro do governo no qual atuava, até porque seria leviano fazer tal afirmação. Sabemos que um governo é formado por várias camadas de comando, e as atuações, são, na maior parte do tempo, de forma separadas dentro das diversas secretarias e órgãos afetos a administração estadual.
Diante disto, é difícil acreditar que Ratinho Júnior tenha conhecimento sobre estes fatos, ou até mesmo qualquer espécie de participação. As investigações do MPF não apontam nenhum indício sobre o atual governador.
Entretanto, é bom lembrar que o governo de Ratinho Júnior é formado por graduados políticos paranaenses, os quais, de uma forma ou de outra, estavam nas fileiras do governo chefiado por Beto Richa, muitas deles trabalharam na campanha de Ratinho e estão agora na estrutura administrativa do governo estadual.
Não seria surpresa alguma se algum nome do antigo e que também atua no atual governo, fosse relacionado em alguma investigação do momento ou até mesmo no futuro bem próximo. Afinal de contas, quando Beto Richa começar a se acostumar com a vida na prisão e perceber que seu futuro é permanecer atrás das grades, mais aumentam as chances de uma delação premiada,  fato que aumentaria superlativamente as chances do MP confrontar as denúncias e ainda descobrir o envolvimento de mais algum nome no esquema.
Registre-se que Beto Richa tem contra si outros processos não menos cabulosos, entre eles, a Operação Rádio Patrulha, a qual foi desencadeada no ano passado e levou a prisão do ex-governador por 4 dias, fato que gerou um desgaste suficiente para enterrar de vez a carreira política de Richa.
Não seria nada bom para o Paraná se tal desconfiança se tornasse realidade. Não estamos torcendo para isto. Porém, como a política é dinâmica e feita de certas amarras que teimam em passar de geração em geração, não se pode colocar a mão no fogo por ninguém. Ninguém mesmo!
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →