Plauto faz discurso ameaçador e diz que tem “todas as informações da Assembléia”

Deputado Plauto fez um pronunciamento duro em tom ameaçador na Assembléia do PR. Foto: Divulgação.
O deputado estadual Plauto Miró (DEM) fez um discurso surpreendente na Tribunal da Assembléia Legislativa do Paraná, durante a sessão ordinária da última terça-feira (12). Em seus 10 minutos de pronunciamento, Plauto disse que nos 8 anos que ficou a frente da 1ª Secretaria da Alep, juntou cópias de documentos de forma impressa, bem como tem todos os dados em um pen drive fora da Assembléia com todas as informações do que passou pelas suas mãos nestes anos todos.
“…vi muita coisa, escutei muita coisa, porque (sic) o primeiro secretário da Casa é o ouvidor, é a pessoa que recebe os senhores deputados, que leva as reivindicações, que leva lá os seus problemas, que precisa de uma série de coisas que a área financeira e estrutural da Assembléia pode dar…mas, eu quero dizer que desde criança sempre fui muito organizado…muito, e tomei o cuidado nestes 8 anos de tirar cópia de todos os documentos que tramitaram na Assembléia ao longo destes anos que participei da Mesa Executiva do Estado do Paraná, tenho num pen drive, tenho fora da Assembléia todas as informações destes 8 anos…”, diz Plauto em determinado trecho do pronunciamento.
O deputado alega que tomou o “cuidado” de tirar cópia de tudo “por precaução”: “…a gente sabe que dentro do Poder Público, muitas vezes, os papéis somem, desaparecem, e quando muda-se a direção do Governo do Estado, da Prefeitura, da Assembléia, das Câmara Municipais, muitas vezes, quando você precisa se defender, nem sempre de acusações de irregularidades, mas de uma série de questões que possam acontecer, você precisa ter o documento, que na Administração ela pode consumir”, continua Plauto.
DEPUTADOS GULOSOS
Outra parte interesse do pronunciamento do deputado Plauto, quando ele citou o nome do deputado licenciado Guto Silva, atual chefe da Casa Civil do Governo Ratinho Júnior, ao comentar sobre dois requerimentos que estaria enviando com pedido de informações: “…estamos encaminhando ao Chefe da Casa Civil, o senhor (enfatizou esta parte) Guto Silva, que foi deputado conosco, conviveu muito tempo comigo aqui na Assembléia, sempre estávamos conversando (enfático novamente), ele sempre teve suas revindicações dentro da estrutura da Assembléia, como vários outros deputados – não são todos – mas sempre teve, como dizia, os gulosos…e nós temos na memória e na mente quem são os gulosos”.
COBRANÇA E FISCALIZAÇÃO NA COPEL
Plauto salientou ainda que, agora que não é mais membro da Mesa Executiva da Assembléia Legislativa, vai cobrar e fiscalizar o Governo do Estado, “porque bom de papo, tem bastante gente!”, salientou.
De acordo com o deputado, os requerimentos que serão protocolados versarão sobre os cargos de diretoria da Copel, bem como de outras empresas estatais, quantidade de cargos comissionados e os salários de cada um dos cargos. Plauto revelou que soube de “ouvir falar” que existe um cargo de diretor da Copel com salário de R$ 80 mil mensais e que seriam mais de 20 cargos com altos salários. Disse ainda que os diretores da Copel recebe 16 salários por ano…”além do 13º, tem o 14º, 15º e 16º salários”.
Veja na íntegra o pronunciamento do deputado Plauto Miró acessando o link => https://www.youtube.com/watch?v=qJc_OGbJRIg
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →