Rangel diz que Wosgrau pode ser candidato a prefeito, destaca aliados e ataca adversários

Para Rangel, a vice prefeito Elizabeth Schmidt é um dos principais nomes para a sucessão. Foto: Arquivo.
Finalmente o prefeito Marcelo Rangel falou sobre sua sucessão na Prefeitura de Ponta Grossa. As declarações foram feitas no programa da rádio da família (Mundial FM) na manhã desta segunda-feira (5). Rangel falou por cerca de 15 minutos, quando fez uma análise dos eventuais candidatos(as) a prefeito(a) nas eleições do ano que vem, tanto do seu grupo político, como também da atual oposição.
Durante sua análise, Rangel fez rasgados elogios a alguns de seus aliados políticos que estão vitaminando seus respectivos nomes para uma escolha de quem será o(a) candidato(a) oficial do grupo de Rangel e Sandro Alex para a eleição majoritária do ano que vem.
Também não poupou críticas aos adversários, tratando-os com um certo desdém e cometendo algumas gafes. Dos adversários políticos, Rangel poupou tão somente o deputado federal Aliel Machado, com quem diz o prefeito, ter uma boa tratativa.
WOSGRAU PODE VOLTAR?
Estava passando das 7:40 horas, quando Rangel começou dizendo que o primeiro nome a ser destacado é do ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho. “Muitos acham que ele está com idade avançada para concorrer, mas ele é um dos nomes a ser analisado sim”, afirmou. Depois passou a destacar os principais aliados políticos, e citou, pela ordem, a vice-prefeita Elizabeth Schmidt, dando a entender que a vice tem a preferência do grupo, se quiser, e, depois na sequência, rasgou elogios para o presidente da Câmara Municipal Daniel Milla, para o secretário de planejamento, Celso Santana, para o secretário de Serviços Públicos, Márcio Ferreira, além do vereador Felipe Passos.
Marcelo deteve-se também nos comentários ao empresário Álvaro Goes, presidente do Grupo Gestor que está a frente do futebol do Operário Ferroviário. Para Rangel, se o Operário for bem e subir para a Série A, por exemplo, Goes teria apoio da torcida do Operário e muitos outros setores. Já se o Operário não for bem, o conceito do dirigente diminuiria bastante, deixando ele de lado de uma eventual pretensão.
MÁGOAS DE PAULIKI AINDA
As críticas maiores sobraram para os vereadores de oposição, de onde Rangel não espera que saia nenhum candidato a prefeito. “Eles só criticam, só reclamam, não tem obra alguma, acho que não tem ninguém pra ser candidato do lado deles”, disse Rangel.
Fez comentários mais profundos quando citou o nome do empresário Márcio Pauliki, cometendo dois deslizes. Primeiro, Rangel disse que Pauliki teria perdido “três ou quatro eleições para prefeito”. Na verdade, Pauliki foi candidato a prefeito somente em 2012, quando ficou em 3º lugar no primeiro turno, mas não foi candidato a prefeito em nenhuma outra eleição. Em 2008, apoiou o irmão de Rangel, Sandro Alex, que perdeu para Wosgrau e em 2016, apoiou Julio Kuller, que ficou em terceiro na votação.
Outro equívoco de Rangel em relação a Pauliki, é que o empresário “não conseguiu a reeleição em 2018”. Na verdade Pauliki foi eleito deputado estadual em 2014 e no ano passado foi candidato a deputado federal, não sendo eleito, portanto, não buscou a reeleição como afirmou o prefeito.
Mas, as declarações de Rangel sobre Pauliki, embora equivocadas nestes dois aspectos, são normais e esperadas. Desde a escolha do candidato a prefeito do grupo que existia até 2012, do qual o próprio prefeito Marcelo fazia parte junto com o irmão Sandro Alex e Márcio Pauliki como apoiador, até então, a relação entre os irmãos e o empresário nunca mais foi a mesma. Portanto, sempre que possível (e necessário), as farpas aparecem de ambos os lados.
ALIEL É POUPADO
Citado, mesmo sem elogios, o deputado federal Aliel Machado foi poupado das críticas de Rangel. “Embora sejamos de partidos diferentes, tenhamos posicionamentos políticos diferentes, Aliel é representante da cidade e temos bom relacionamento”, garante o prefeito, que destacou o posicionamento político de Aliel como fator preponderante: “Ele é oposição ao governador Ratinho Júnior e ao presidente Bolsonaro. Se Bolsonaro estiver bem perante a população ele terá dificuldades”, avalia Rangel.
OBJETIVO É MANTER O GRUPO NO PODER
Rangel deixou muito claro que o grupo dele e do irmão Sandro terá sim um candidato a prefeito e chapa de vereadores. Isto quer dizer que a ideia é manter-se em evidência, pois com um aliado do governo do Estado na Prefeitura a partir de 2021 e um eventual prefeito saído deste grupo atual, facilitará sobremaneira um projeto de manutenção do grupo no poder, no comando da Prefeitura de Ponta Grossa, abrindo espaço para que ele mesmo, Rangel, ou Sandro, possa ser candidato novamente no futuro.
O projeto dos irmãos Oliveira está muito bem desenhado. Vamos ver se os demais grupos competidores também apresentarão seus devidos projetos antagônicos na sequência.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

One Comment on “Rangel diz que Wosgrau pode ser candidato a prefeito, destaca aliados e ataca adversários”

  1. Como cidadã jamais vou votar em um candidato que seja indicado por Rangel, votar na vice dele é o mesmo que reeleição, sabemos que não vai dar certo, creio que para o momento o melhor nome seria Márcio Pauliki, pois como empresário provou que é um grande administrador, é isso que Ponta Grossa precisa um administrador.

Comments are closed.