Elizabeth Schmidt assume Prefeitura por 15 dias enquanto decide possível candidatura

Rangel passa o cargo para a vice, Elizabeth Schmidt, que tem a preferência para ser candidata a sucessão do prefeito. Foto: Divulgação PMPG.
Ao assumir o cargo de prefeita em exercício, nesta segunda-feira (27) a vice Elizabeth Schmidt, não só assume a administração municipal, como também acelera sua análise quanto a uma possível candidatura nas eleições municipais de outubro próximo. A vice-prefeita tem a preferência para ser a candidata oficial a sucessão do prefeito Marcelo Rangel, porém ainda não se decidiu se vai para a campanha, ou não.
No último contato que a reportagem do Política Em Destaque manteve com a vice-prefeita Elizabeth Schmidt, ela relatou que ainda não definiu partido e que prefere não se manifestar sobre o assunto neste momento, deixando – segundo ela – até março para escolher o rumo a ser dado ao seu futuro político.
Entretanto, nos bastidores comenta-se que o prefeito Marcelo Rangel e o deputado Sandro Alex, gostariam imensamente que ela fosse a candidata oficial do grupo e que aguardam tão somente uma definição dela quanto ao aceite da candidatura, ou não, para definir as estratégias da campanha.
A vice-prefeita enfrentaria, de acordo com alguns interlocutores mais próximos, a preocupação da família quanto a enfrentamento da campanha eleitoral. Alguns consideram que a professora Elizabeth não deveria se expor em uma campanha árdua e difícil como preveem que será esta próxima eleição para prefeito em Ponta Grossa e que, se for o caso, uma vaga de vice novamente lhe cairia bem melhor, sob vários aspectos.
Rangel tem rasgado elogios a sua vice. Adjetivos como “competente”, “extremamente séria” e “leal”, são regularmente usados pelo prefeito, que não esconde sua admiração pela professora Elizabeth.
Caso Elizabeth realmente desista de ser candidata, Sandro e Marcelo devem consultar os assessores mais chegados, e até bases estaduais de apoio, para verificar quais seriam as opções para o grupo na campanha deste ano.
Na lista de planos b, c, d, e…assim por diante, podemos citar Daniel Milla (presidente da Câmara Municipal), Celso Santana (secretário de Planejamento), Márcio Ferreira (secretário de serviços públicos) e uma outra alternativa fora do grupo, do ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho, o qual, ao que nos parece, estaria mesmo aquecendo as turbinas para lançar sua candidatura novamente.
Embora haja resistência interno no grupo, o nome de Wosgrau ganha força porque, segundo avaliações de algumas pessoas mais influentes, seria um candidato com condições políticas e densidade eleitoral para fazer frente a dois oposicionistas, Aliel Machado e Márcio Pauliki.
Além disto, com Wosgrau, seria bem mais fácil encaixar a professora Elizabeth como vice, uma vez que as ligações políticas entre Wosgrau e Schmidt datam desde quando a professora ocupou o cargo de secretária de Cultura dos últimos governos de PWF.
O prefeito Marcelo Rangel deve aproveitar os 15 dias de férias, para, além de viajar e descansar um pouco, avaliar com seu irmão quais as possibilidades e alternativas dentro das variáveis que se apresentam. Assim, quando voltar a ocupar o gabinete principal do Palácio da Ronda na metade de fevereiro, Rangel deverá começar a desenhar qual o rumo do seu grupo político, o qual, até o final de março deverá – por força do prazo de pré-campanha – estar definido.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →