Viadutos da Souza Naves: quando o interesse particular quer suplantar o interesse público

Projeto dos viadutos da Souza Naves mostram vias auxiliares de acesso a marginais da avenida.
A discussão envolvendo uma ação no judiciário para bloquear as obras de construção dos viadutos na Avenida Souza Naves, nos parece, antes de mais nada, um completo absurdo. As obras que devem iniciar em breve, são um clamor da população de Ponta Grossa, especialmente de quem mora e trabalha na região do Bairro Chapada, entre outros. Porém, na visão de alguns empresários, a obra poderá prejudicar seus interesses.
Está previsto na Constituição Federal e em todo arcabouço jurídico nacional de que a atuação da Administração Pública, neste caso do Governo do Estado, deve estar voltada ao interesse público, seja pelo poder discricionário da ação administrativa, ou ainda, pela conveniência e oportunidade do executivo. Neste caso específico dos viadutos da Souza Naves, a obra justifica-se por si só, pois resolverá um grave problema de tráfego de veículos e principalmente, poupará centenas de vidas de pedestres.
Entretanto, um grupo de empresários e moradores acredita que tais obras prejudicarão seus negócios e suas vidas, pois dificultaria o acesso a seus imóveis, sejam lá por quais circunstâncias acreditam nesta possibilidade.
Vendo o projeto de maneira simplista, fica fácil verificar que a obra incluirá alças de acesso para veículos e também vias paralelas, para que veículos e pessoas possam ter livre trânsito em residência e/ou empresas localizadas em frente aos viadutos. Portanto, este não é o problema.
Se o problema não é a o projeto e sua funcionalidade, qual seria então o interesse? Seria político? Não gostaria de acreditar neste hipótese. Seria muito baixo e uma atitude muito egoísta. Quero descartar esta hipótese, embora mantenha certa desconfiança, até prova em contrário.
Quero imaginar que trata-se apenas de um equívoco e com os devidos esclarecimentos por parte do DER e da Secretaria de Infraestrutura, as pessoas que tentaram barrar as obras na justiça, revejam seus pensamentos, verificando em última análise, que o interesse da maioria estará sempre acima dos interesses particulares, de poucos, os quais muitas vezes, que se acham acima dos demais.
Ainda bem que o Poder Judiciário, até o momento e neste caso, está salvaguardando o interesse da maioria, como deve ser.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →