Rangel acertou em nomear Grokoviski para a Fazenda e Prefeitura equilibra finanças

Cláudio Grokoviski, secretário de Fazenda, apresentou resultados das metas fiscais de 2020 com bons resultados. Foto: Divulgação PMPG.
Quando o funcionário da carreira da Prefeitura de Ponta Grossa, Cláudio Grokoviski, assumiu o comando da Secretaria de Fazenda em abril de 2017, tínhamos a certeza de o prefeito Marcelo Rangel estava fazendo a melhor escolha para o setor financeiro da administração.
Tanto a escolha do prefeito quanto a previsão do analista se concretizaram. Em pouco mais de 3 anos, Cláudio e sua equipe, conseguiram equilibrar as finanças da Prefeitura, realizando uma gestão técnica entre a arrecadação, que cresceu de forma exponencial, e os gastos, que aos poucos foram sendo racionalizados.
Tanto é assim que na terça-feira (29), o secretário Cláudio apresentou os resultados da Prefeitura do último quadrimestre (entre maio e agosto), mostrando uma redução de 5% nos gastos, principalmente com pessoal, e um aumento de mais de 8% na arrecadação, mesmo com redução da atividade econômica em função da pandemia do Coronavírus, colocando os gastos com pessoal dentro dos limites legais.
Mas, engana-se quem pensa que este controle de gastos e equilíbrio das contas foi fácil – ou continua sendo. Este trabalho é resultado da competência do secretário e de sua equipe, profissionais que conhecem o funcionamento da máquina pública, desde a criação de um ambiente favorável para o aumento da arrecadação, com implantação de ferramentas de justiça fiscal, passando por racionalização de gastos e controle das contas.
Não basta saber gastar. Tem que saber arrecadar, onde e como gastar o dinheiro público.
Podemos então concluir que a sensível melhor das condições financeiras do município passou por algumas etapas, todas elas assertivas: primeiro, o bom senso do prefeito Rangel em escolher um nome técnico. Segundo, o conhecimento da máquina pública por parte do secretário e sua equipe e, por fim, a competência destes profissionais. Sim, porque não basta boa vontade e boa fé, é preciso que o gestor público tenha competência também, pois senão os recursos, embora bem aplicados, não renderão frutos em ritmo desejado e necessário.
Outra certeza que temos é de que o Prefeito Marcelo Rangel entregará as finanças equilibradas para seu(sua) sucessor(a), ao contrário do que quando assumiu em 2013. Rangel teve dificuldades no primeiro mandato, talvez por não contar na época com assessores antenados com a máquina pública, o que causaram alguns equívocos que aos poucos foram corrigidos. Processo natural.
Porém, a partir do segundo mandato, com alterações e ajustes na equipe, e com medidas proativas, o governo municipal apresentou resultados muito melhores para a população.
Claro e evidente que não será um mar de rosas para o próximo ocupante do gabinete principal do segundo andar do Paço Municipal. Por certo, haverá desafios e obstáculos a serem superados. Nada é perfeito e a habilidade do gestor público se mostra quando o desempenho do governo atinge-se níveis de acertos bem superiores aos problemas e desafios que se apresentam todos os dias, meses e anos de uma administração.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →

One Comment on “Rangel acertou em nomear Grokoviski para a Fazenda e Prefeitura equilibra finanças”

  1. Parabéns Claudio esse menino é muito competente mesmo merece todo respeito…..

Comments are closed.