Vacinação aumentando, economia reagindo. Podemos ser otimistas já?

Desde a semana passada o ritmo de vacinação no Brasil vem aumentando, com a chegada de novas doses das vacinas já existentes e de imunizantes de outros laboratórios para combater o coronavírus. Precisamos avançar mais rapidamente, mas houve um incremento nas doses, chegando nas faixas dos 40 anos para a população em geral.
Do mesmo modo, a economia vem apresentando indícios de melhora, com aumento nas vendas no comércio, aumento da produção industrial, os níveis de emprego reagindo e o PIB com novas previsões positivas, sem falar do agronegócio, que continua sendo o principal destaque da área econômica brasileira.
Não resta dúvidas de que, se não fosse esta pandemia terrível, o Brasil estaria em situação econômica privilegiada, com as medidas de austeridade que o Governo Federal vem tomando para modernizar a política econômica e incentivar os empreendedores e investidores.
Será que podemos ser otimistas já, neste momento? Ainda é cedo para analisarmos se a melhora na economia é estável?
Talvez a resposta esteja na reação do mercado. Em Ponta Grossa, temos visto anúncios quase que semanais de novas empresas se instalando na cidade, ou aumentando seus empreendimentos.
A Havan anunciou uma parceria com as Lojas MM para um megastore na região do Contorno. Um novo shopping está sendo erguido na Ronda. Uma parceria entre cooperativas construirá uma super maltaria, que já tem parte da produção vendida para a Heineken. As Lojas Daju anunciaram que Ponta Grossa terá a primeira loja no interior do Estado.
Além disto, a Cooperativa Cassol está anunciando uma agência em Oficinas, bairro em que teremos a primeira unidade do Girafas, rede de gastronomia, a partir de setembro.
Estes exemplos nos dão a dimensão de que o país está dando certo. O Paraná vai bem. Ponta Grossa é destaque na economia.
Só falta mesmo acelerar a vacinação para que grande parte da população esteja imunizada e possamos voltar a ter uma vida normal, ou quase que normal, isto porque é certo que teremos um “novo normal” a partir do controle desta pandemia, para que outras não venham na sequência prejudicar nossa saúde e nossa economia.
Então, a resposta para a pergunta acima talvez esteja mais perto do que pensávamos. Sim, podemos ser otimistas. Devemos ser otimistas, porque sem este combustível, não teríamos forças para continuar nossas vidas e o nosso trabalho.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

 

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →