Vereadores mudam de voto e IPTU terá reajuste somente pela inflação

Votação do projeto do IPTU foi tensa na Câmara Municipal de PG.
Na votação em segundo turno do Projeto de Lei que visava atualizar a pauta de valores do IPTU da Prefeitura de Ponta Grossa, três vereadores da Câmara Municipal mudaram de voto em relação a primeira votação, e o projeto foi rejeitado. Havia necessidade de maioria para aprovação em segundo turno. Agora, o projeto é arquivado, e só poderá ser discutido uma nova proposta no ano que vem.
Com a rejeição do projeto, que aumentaria a arrecadação da Prefeitura, o IPTU de 2022 será corrigido apenas pelo índice da inflação, algo em torno de 10% em relação aos valores cobrados neste ano.
Enquanto a equipe econômica da Prefeitura de Ponta Grossa lamentava a reviravolta na votação do projeto, verificou-se que a mudança na opinião aconteceu devido a ação política nos bastidores. Além disto, houve uma pressão muito grande por parte de grupos empresariais, os quais organizaram até manifestação.
Tanto a pressão política, como a contrariedade que o projeto ganhou perante a população, de certa forma intimidou alguns parlamentares que mudaram seus votos, causando a derrota para o Poder Executivo.
Na verdade, em última análise, a derrota é do próprio município, pois a diferença na arrecadação que causará, deixando de entrar um volume considerável de recursos, impossibilitará a administração em realizar diversas ações para a população.
Porém, como tudo que é ruim tem o lado bom, esta situação abre a possibilidade que a Administração organize uma atuação na tabela de valores, atualizando pontualmente o valor venal dos imóveis, sem mexer na tabela percentual que incide sobre os imóveis, realizando assim a verdadeira justiça fiscal. Vai pagar mais que realmente pode.
  • Paulo Sérgio Rodrigues, editor.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →