Ponta Grossa está entre as 20 cidades que melhor administram recursos públicos

O secretário da Fazenda, Cláudio Grokoviski, comemora a colocação de Ponta Grossa na administração de recursos públicos.
Entre os 5.570 municípios brasileiros, Ponta Grossa ficou em 19º lugar na categoria eficácia na administração de verba. O resultado obtido em uma pesquisa realizada pela a Editora Três, em parceria com a Agência de Classificação de Risco de Crédito Austin Rating, foi divulgada, nesta semana, pela Revista Isto é, através do anuário As Melhores Cidades do Brasil, que apresentou um mapeamento e classificação sobre o nível de desenvolvimento dos municípios no país.
 A prefeita Elizabeth Schmidt comemora o resultado. Segundo ela, o critério avaliado reflete a capacidade da administração municipal se organizar com um orçamento reduzido. Elizabeth destaca que a pesquisa publicada comprova o trabalho sério executado com os recursos municipais e uma gestão balizada pela austeridade. “Ou seja, se havia alguma dúvida, agora está comprovado que os recursos arrecadados estão sendo bem investidos, em nossa cidade”, disse.
Elizabeth comenta que o equilíbrio na administração financeira que garantiu esta colocação no ranking nacional quer dizer que os recursos estão sendo bem administrados, o que não quer dizer que está sobrando. Por isso, a dificuldade em atender todas as demandas da população. “Sabemos que nossa cidade tem potencial para arrecadar bem mais. Porém, precisamos aumentar nossas receitas para atender mais e melhor as necessidades das pessoas. Em virtude disso, nossa intenção é discutirmos novamente o reajuste da Planta Genérica de Valores (PGV), defasada há 23 anos. Com mais recursos, mais amplo e melhor será o atendimento para as demandas da cidade”, salientou a prefeita.
O secretário da Fazenda, Cláudio Grokoviski, avalia que tirando capitais de estados, Ponta Grossa passa para 5° posição no Brasil. No Paraná, PG é a 1ª colocada e na região Sul a 2ª, ficando na frente de capitais como Manaus (AM), Porto Velho (RO) e Palmas (TO), Aracaju (SE), Maceió (AL), Natal (RN), Teresina (PI) e Florianópolis. “Entre milhares de municípios brasileiros, a 19° posição no cenário nacional já é motivo para se orgulhar de nossa cidade, quando analisamos os números de forma regional é possível identificar que são melhores ainda”, compara o secretário, que comenta que estes dados ao não fará com que administração se acomode, mas sim, tenha a garantia que está no caminho certo.
Grokoviski salienta que alcançar este conceito nacional é uma realidade graças a coragem da prefeita Elizabeth em enfrentar temas difíceis, nunca antes tratados, como a implementação de medidas de austeridade, a realização de uma reforma administrativa, extinção de órgãos deficitários e que perderam suas funções, as alterações na estrutura tributária e a redução de gastos públicos do que não é essencial. “Mesmo com as dificuldades, a gestão está organizando a casa, garantindo os pagamentos em dia e reconquistando a credibilidade com fornecedores”, disse o secretário, que salientou o apoio da Câmara dos Vereadores para estas mudanças positivas, que levaram a esta colocação no ranking nacional da Revista Isto É.

About Paulo Sérgio Rodrigues

Comentarista político, radialista, trabalhou em diversas emissoras de rádio, em TV e em jornais de Ponta Grossa, vem atuando há 30 anos no jornalismo de Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

View all posts by Paulo Sérgio Rodrigues →